Seguidores

sábado, 30 de julho de 2011

Billie Holiday e Amy Winehouse tão parecidas no final


Billie Holiday (Filadélfia, 7 de abril de 1915 — Nova York, 17 de julho de 1959), Lady Day para os fãs, é por muitos considerada a maior de todas as cantoras do jazz.

Nascida Eleanor Fagan Gough, foi criada em Baltimore por pais adolescentes. Quando nasceu, seu pai, Clarence Holiday, tinha quinze anos de idade e sua mãe, Sarah Fagan, apenas treze. Seu pai, guitarrista e banjista, abandonou a família quando Billie ainda era bebê, seguindo viagem com uma banda de jazz. Sua mãe, também inexperiente, frequentemente a deixava com familiares.
Menina americana negra e pobre, Billie passou por todos os sofrimentos possíveis. Aos dez anos foi violentada sexualmente por um vizinho, e internada numa casa de correção para meninas vítimas de abuso. Aos doze, trabalhava lavando o chão de prostíbulos. Aos quatorze anos, morando com sua mãe em Nova York, caiu na Prostituição.

Carreira

Sua vida como cantora começou em 1930. Estando mãe e filha ameaçadas de despejo por falta de pagamento de sua moradia, Billie sai à rua em desespero, na busca de algum dinheiro. Entrando em um bar do Harlem, ofereceu-se como dançarina, mostrando-se um desastre. Penalizado, o pianista perguntou-lhe se sabia cantar. Billie cantou e saiu com um emprego fixo.
Billie Holiday, fotografada por Carl Van Vechten.
Billie nunca teve educação formal de música e seu aprendizado se deu ouvindo Bessie Smith e Louis Armstrong.
Após três anos cantando em diversas casas, atraiu a atenção do crítico John Hammond, através de quem ela gravou seu primeiro disco, com a big band de Benny Goodman. Era o real início de sua carreira. Começou a cantar em casas noturnas do Harlem (Nova York), onde adotou seu nome artístico.
Cantou com as big bands de Artie Shaw e Count Basie. E foi uma das primeiras negras a cantar com uma banda de brancos, em uma época de segregação racial nos Estados Unidos (anos 30). Consagrou-se apresentando-se com as orquestras de Duke Ellington, Teddy Wilson, Count Basie e Artie Shaw, e ao lado de Louis Amstrong.
Billie Holiday foi uma das mais comoventes cantoras de jazz de sua época. Com uma voz etérea, flexível e levemente rouca, Sua dicção, seu fraseado, a sensualidade à flor da voz, expressando incrível profundidade de emoção, a aproximaram do estilo de Lester Young, com quem, em quatro anos, gravou cerca de cinquenta canções, repletas de swing e cumplicidade. Lest Young foi quem lhe apelidou "Lady Day".
A partir de 1940, apesar do sucesso, Billie Holiday, sucumbiu ao álcool e às drogas, passando por momentos de depressão, o que se refletia em sua voz.
Pouco antes de sua morte por overdose de drogas, Billie Holiday publicou sua autobiografia em 1956, Lady Sings the Blues, a partir da qual foi feito um filme, em 1972, tendo Diana Ross no papel principal.


































































































Músicas de sua autoria

  • "Billie's Blues" (1936)
  • "Don't Explain" (1944)
  • "Everything Happens For The Best" (1939)
  • "Fine and Mellow" (1039)
  • "God Bless the Child" (1941)
  • "Lady Sings the Blues" (1956)
  • "Long Gone Blues" (1939)
  • "Now or Never"(1949)
  • "Our Love Is Different" (1939)
  • "Stormy Blues" (1954)

Texto: Wikipédia, a enciclopédia livre



sexta-feira, 29 de julho de 2011

Create your own banner at mybannermaker.com!

Parabéns ao Blog Conheça o Espiritismo, link http://conhecerkardec.blogspot.com  , o mesmo está completando 1 aninho de muiiiiiiiito sucesso, sempre divulgando a Doutrina Espirita a todos que buscam respostas às suas inquietações. Um abraço de luz a você Denise por essa iniciativa tão positiva.

sábado, 23 de julho de 2011

Rehab / Reabilitação - Amy Wynehouse

They tried to make me go to rehab
Tentaram me mandar para reabilitação
But I said ‘no, no, no’
Mas eu disse “não, não, não”
Yes, I’ve been black, but when I come backEu sei, andei mal, mas quando eu voltar
You’ll know-know-know
Vocês vão saber, saber, saber
ain’t got the time
Não tenho tempo
And if my daddy thinks I’m fine
E mesmo achando que estou bem, meu pai
He’s tried to make me go to rehab
tenta me mandar pra reabilitação
But I won’t go-go-go
Mas eu não vou, vou, vou
I’d rather be at home with Ray
Prefiro ficar em casa com o Ray
I ain’t got seventy days
Não tenho setenta dias
‘Cause there’s nothing
Porque não há nada
There’s nothing you can teach me
Você não tem nada pra me ensinar
That I can’t learn from Mr. Hathaway
Nada que eu não possa aprender com o Sr. Hathaway
I didn’t get a lot in classNão aprendi muito nas aulas
But I know it don’t come in a shot glassMas sei que a solução não está na bebida
They tried to make me go to rehab
Tentaram me mandar para reabilitação
But I said ‘no, no, no’Mas eu disse “não, não, não”
Yes, I’ve been black, but when I come backEu sei, andei mal, mas quando eu voltar
You’ll know-know-knowVocês vão saber, saber, saber
I ain’t got the timeNão tenho tempo
And if my daddy thinks I’m fineE mesmo achando que estou bem, meu pai
He’s tried to make me go to rehabtenta me mandar pra reabilitação
But I won’t go-go-goMas eu não vou, vou, vou
The man said “why do you think you’re here?”O homem disse “porque você acha que está aqui?”
I said “I got no idea.Eu disse “Não faço ideia
I’m gonna, I’m gonna lose my baby,Vou, vou perder meu amor
So I always keep a bottle near.”Então sempre deixo uma garrafa por perto.”
He said “I just think you’re depressed,Ele disse “Acho que você está deprimida,
Kiss me here, baby, and go rest.”Me dê um beijo, querida, e vai descansar.”
They tried to make me go to rehabTentaram me mandar para reabilitação
But I said ‘no, no, no’Mas eu disse “não, não, não”
Yes, I’ve been black, but when I come backEu sei, andei mal, mas quando eu voltar
You’ll know-know-knowVocês vão saber, saber, saber
I don’t ever want to drink againNão quero beber nunca mais
I just, ooh, I just need a friendSó, ah, só preciso de um amigo
I’m not going to spend ten weeksNão vou gastar dez semanas
And have everyone think I’m on the mendPara que todo mundo pense que estou me recuperando
It’s not just my prideNão é só meu orgulho
It’s just ’til these tears have driedÉ só até essas lágrimas secarem
They tried to make me go to rehab
Tentaram me mandar para reabilitação
But I said ‘no, no, no’Mas eu disse “não, não, não”
Yes, I’ve been black, but when I come backEu sei, andei mal, mas quando eu voltar
You’ll know-know-knowVocês vão saber, saber, saber
I ain’t got the time
Não tenho tempo
And if my daddy thinks I’m fineE mesmo achando que estou bem, meu pai
He’s tried to make me go to rehabtenta me mandar pra reabilitação
But I won’t go-go-goMas eu não vou, vou, vou



domingo, 10 de julho de 2011


Superar o Medo e Administrar os Riscos


Por Tom Coelho
“Houve momentos em que pensei que poderíamos falhar.
Houve momentos em que até pensei que deveríamos falhar.
Mas, por alguma razão, nunca pensei que falharíamos.”
(Phil Knight, Nike)
O maior medo a confrontar os inovadores não é o medo de errar, mas o de não tentar ou, ainda, ser suplantado por outrem.
O mundo está repleto de idéias. E a grande maioria das pessoas vai levá-las consigo após o suspiro final devido à incapacidade de torná-las tangíveis, colocando-as em prática.
Temos o hábito de ficar esperando pelo mundo perfeito. Queremos controlar o ambiente e as circunstâncias, adotamos a hesitação como parceira e vemos o tempo escorrer pelas mãos e a frustração nos visitar.
O ótimo é inimigo do bom. Por isso, aja! Esteja preparado para errar e acostume-se com o erro. Corra riscos. Se você não o fizer, alguém o fará em seu lugar. Se você tiver medo de falhar, você vai falhar. É como um velho lema dos lutadores de artes marciais: se você teme perder, já está vencido.
Encare o risco, o perigo e o fracasso como adrenalina que acelera o pulso, dilata as pupilas, impulsiona as sinapses proporcionando-lhe uma explosão de prazer por fazer diferente no intuito de fazer a diferença. Como dizem na Intel Capital: “Ser o primeiro entre os piores é melhor do que ser o segundo entre os melhores”. Arrisque.
* Tom Coelho, com graduação em Economia pela FEA/USP, Publicidade pela ESPM/SP e especialização em Marketing pela MMS/SP e em Qualidade de Vida no Trabalho pela FIA-FEA/USP, é empresário, consultor, professor universitário, escritor e palestrante. Diretor da Infinity Consulting, Diretor do Simb/Abrinq e Membro Executivo do NJE/Fiesp.


Coletânea de poemas de vários autores - Trabalho Primoroso da Poetisa Luna de Primo