Seguidores

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Feliz 2011




"Nesse ano que passou muitos de nós esperamos ter mais.
Mais amigos, mais dinheiro, mais sucesso, mais tudo...
Entretanto, nem sempre mais é sinônimo de melhor.
Alguns de nós só esperam um sorriso dos que amam.
Esperam a senha para cruzar a ponte entre a dúvida e a certeza.
No próximo ano, alguns de nós irão se casar.
Ou separar.
Alguns vão errar, outros acertar.
Será um ano em que muitos ganharão filhos.
Outros segurarão seus netos no colo pela primeira vez.
Alguns pela última.
Há, ainda, os que lutarão contra o maior inimigo de todos - seus próprios pensamentos e fraquezas.
Não será um ano fácil. Nem deveria ser.
Não existimos para enfrentar o que é fácil, mas o que é difícil.
Crescemos na adversidade.
E marcamos nosso caminho nessa mesma adversidade. No combate entre o mundo que existe e o que queremos construir.
Alguns de nós verão os olhos de outra pessoa e correrão para o amor.
Outros fugirão dele.
Se tivermos dinheiro, ótimo.
Se tivermos sucesso, excelente.
Desde que tenhamos, antes, a felicidade de estarmos na estrada certa, e, principalmente, a saúde e a paz necessárias para trilharmos essa estrada.
Porque a última coisa que alguém quer é escalar a escada do sucesso e, quando chegar ao topo, descobrir que a escada estava apoiada na parede errada.
Desejo que você e sua família tenham um Ano Novo com cara de novo mesmo!
Principalmente, desejo que você passe os momentos mais importantes do próximo ano cercados das pessoas que lhe são importantes, e que esses momentos sejam regados com muita saúde, paz e amor.
Feliz Ano Novo

domingo, 26 de dezembro de 2010

Precisa-se de mão de obra para construir um País




Como é difícil construir uma grande nação com mão de obra desqualificada. Temos um ótimo terreno, boa matéria prima, já até pegamos o dinheiro com agiotas internacionais para construí-las, mas definitivamente falta mão de obra qualificada .
Dizia o Premier Churchill, “todo povo tem o governo que merece”. Deveras que estava certíssimo a respeito.
A crença anterior era que Collor não servia como também não serviu Itamar e FHC, agora dizemos que Lula não serve .
E o que vier apos o Lula também não servirá, aposto isso com você.
Por isso começo a suspeitar que o problema não estava no ladrão que era Collor nem na farsa que é o Lula.
O problema esta em nós como POVO!!!
O brasileiro taxa os políticos como desonestos, sem qualificação e preguiçosos e logo fico a imaginar como seria uma leva de políticos honestos, bem qualificados e trabalhadores querendo construir um grande país sem mão de obra qualificada.
Nossa brasilinidade nos ensina a arte de sermos individualistas e espertos.
Moro num país onde o telefone público externo jamais poderá ter uma lista telefônica , onde o usuário procura pelo numero e após achá-lo deixa a lista onde está, sem levá-la para casa, tampouco vendê-la como quilo de papel .
Pertenço a um pais onde não se pode perder uma passagem de ônibus pois provavelmente o espertalhão que a acha-la logo se encaminhará para o guichê da empresa querendo, SEU DINHEIRO DE VOLTA PORQUE NÃO IRÁ MAIS VIAJAR, onde as pessoas pouco importam se quem perdeu tem dinheiro para comprar outra passagem .
Onde empresário desonestos donos de empresas de ônibus reencarroça ônibus com quase 30 anos de uso na intenção de iludir o passageiro que o ônibus é todo novo, quando na verdade apenas a carroceria é nova.
Um país que tem um exercito inútil na paz e incapaz na guerra, onde seus comandantes ao invés de fazer treinamento tático para evitar fazer vergonha com fizeram na campanha de Canudos e na Guerrilha do Araguaia gastam seu tempo tramando golpes como fizeram em 1930 e 1964 .
Queremos construir num terreno onde não existe terremoto, maremoto, tsunami, furações, vulcões e tremores de terra uma grande nação com funcionários públicos que saqueiam as repartições publicas a fim de levar papéis, borrachas, clipes, canetas, e tudo que se puder carregar para casa e repartir com seus parentes e vizinhos.
Onde quando convocado para depor numa CPI o depoente insiste em repetir durante todo o depoimento um sonoro NÃO SEI RESPONDER, SENHOR PRESIDENTE.
Onde banheiros públicos não podem ter sabonete, toalha de rosto e papel higiênico porque seus usuários ou fazem mal uso desses objetos OU SIMPLESMENTE OS COLOCA NA BOLSA E OS LEVA PARA CASA .
Um país onde a maior autoridade (o presidente da república) é taxado pela imprensa estrangeira como alcoólatra, e dá infelizes entrevistas como aquela que que ele desincetiva a leitura.
Onde cada praça deste pais tem que ter ao menos 4 vigilantes se alternado para evitar que algum espertalhão leve a TV da praça para casa, bem como o vaso sanitário e as plantas mais interessantes.
Nascido aqui entristeço-me , pois que Lula renunciasse ainda hoje logo seu sucessor terá que trabalhar com a mesma falta de matéria prima .
NÃO NÃO NÃO , já é hora de dar um basta neste “JEITO ESPERTO DE SER BRASILEIRO” é hora de rever-mos nossos qualidades como seres humanos, quero pertencer a um pais onde a “ESPERTEZA” NÃO é uma moeda tão ou mais valorizada que o dólar.
Quero pertencer a um pais onde ficar rico da noite para o dia não será uma virtude mais apreciada que formar uma família baseada no respeito aos demais.

Abraços a todos
Pablo Teach
Movimento legalista Muda Já

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Meu Conceito de Natal



Toda essa energia de Paz, Amor e Harmonia que se fortalece nessa época do ano, deveriam ser uma constante durante os 365 dias do ano. Muitas vezes lembramos-nos daquele familiar distante em um único dia, ou então as virtudes de nossos melhores amigos ressaltadas nas horas de festejos e logo esquecidas na ressaca do dia seguinte. Questiono-me sobre essa peculiaridade do ser humano, viver pra si mesmo durantes meses a fio e se redimir desse ato egoísta na noite de Natal com a troca de presentinhos que muitas vezes não compensam a ausência de afetos de um ano inteiro. Quantos pais, avós e outros ficam relegados ao ostracismo? Porém é inútil pensar que na ceia natalina uma lembrancinha compense tudo isso. Particularmente prefiro suprir as necessidades de minha família e amigos durante o ano inteiro a ter que calar a voz da minha consciência através de subterfúgios ou datas comemorativas. Isso também serve para as entidades assistenciais cujo labor em favor dos desfavorecidos não deveriam se restringir a um só dia do ano, quando uma bola ou boneca em donativos muitas vezes doados como cumprimento de um dever substituindo o ato de amor que a data simboliza. Mesmo assim fico feliz em ver a humanidade nem que seja por um dia unida em atos altruístas e benevolentes com sorrisos no rosto elencados pelo espírito simbólico do nascimento de Jesus. 

Elsy Myrian Pantoja
Imagem Google

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Presépio de Natal: o início da tradição

 
 
No ano de 1223, no lugar da tradicional celebração do natal na igreja, São Francisco, tentando reviver a ocasião do nascimento do Menino Jesus, festejou a véspera do Natal com os seus irmãos e cidadãos de Assis na floresta de Greccio. São Francisco começou então a divulgar a idéia de criar figuras em barro que representassem o ambiente do nascimento de Jesus.
 
De lá pra cá, não há dúvidas que a tradição do presépio natalino se difundiu pelo mundo criando uma ligação com a festa do Natal. Já no século XVIII, a recriação da cena do nascimento de Jesus estava completamente inserida nas tradições de Nápoles e da Península Ibérica.

Neste mesmo século, vindo de Nápoles, o hábito de manter o presépio nas salas dos lares com figuras de barro ou madeira difundiu-se por toda a Europa e de lá chegou ao Brasil. Hoje, nas igrejas e nos lares cristãos de todo o mundo é montado presépios recordando o nascimento do Menino Jesus, com imagens, de madeira, barro ou plástico, em tamanhos diversos.

Atualmente, tradições natalinas antigas como a árvore de natal, o Papai Noel, a ceia de natal, o presépio e as músicas natalinas dão forma à celebração do Natal ao redor do mundo.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

A borboleta e a psicopedagogia




Lembro-me de uma manhã em que eu havia descoberto um casulo na casca de uma árvore, no momento em que a borboleta rompia o invólucro e se preparava para sair.
Esperei bastante tempo, mas estava demorando muito, e eu estava com pressa. Irritado, curvei-me e comecei a esquentar o casulo com meu hálito.
Eu o esquentava e o milagre começou a acontecer diante de mim, a um ritmo mais rápido que o natural.
O invólucro se abriu, a borboleta saiu se arrastando e nunca hei de esquecer o horror que senti então: suas asas ainda não estavam abertas e com todo o seu corpinho que tremia, ela se esforçava para desdobrá-las.
Curvado por cima dela, eu a ajudava com o calor do meu hálito. Em vão. Era necessário um acidente natural e o desenrolar das asas devia ser feito lentamente ao sol - agora era tarde demais.
Meu sopro obrigara a borboleta a se mostrar toda amarrotada, antes do tempo.
Ela se agitou desesperada, alguns segundos depois morreu na palma da minha mão.
Aquele pequeno cadáver é, eu acho, o peso maior que tenho na consciência. Pois, hoje entendo bem isso, é um pecado mortal forçar as leis da natureza.
Temos que não nos apressar, não ficar impacientes, seguir com confiança o ritmo do Eterno.
Nikos Azanizaki
* * *
Esta pequena história nos faz pensar num dos aspectos do trabalho psicopedagógico, ou seja, sobre o respeito ao aluno e às necessidades de aprendizagem de cada criança.
A lagarta passa por um longo processo de transformação para virar borboleta e poder voar.
A lagarta se alimenta muito para crescer. Este "alimenta-se para crescer" do ponto de vista da psicopedagogia são as experiências que a criança vai adquirindo em contato com as pessoas, os objetos e o mundo em geral.
Há que se selecionar os "alimentos estímulos" mais apropriados para este crescimento.
Depois, ao formar o casulo, a lagarta entra em repouso. Este tempo é necessário para que haja uma assimilação e uma acomodação das experiências, para que o sujeito as possa tomar como suas, fazendo e refazendo, como se construísse o seu casulo.
Mas, há o tempo de sair do casulo e poder voar.
Tempo de mostrar, de expressar, de comunicar.
As formas de mostrar o que se sabe são variadas, às vezes são desenhos, ou são novas brincadeiras, ou, até novas perguntas.
Só que cada lagarta tem seu tempo de casulo e seu tempo de ser borboleta. Não há como forçar e nem como acelerar os tempos, sem o risco de perdermos o vôo da borboleta!
Os comentários sobre a história da borboleta foram feitos por Erzsebet Mangucci - autora do livro "Vivendo a Leitura e a Escrita", da Solução Editora.

domingo, 12 de dezembro de 2010

Silvio Santos completa 80 Anos de Vida

 
 
Completar oito décadas no dia que lhe deu fama e fortuna só pode ser obra do destino. Homem de sorte, Silvio Santos não aposta à toa

Se vale a máxima de que nenhum reality show é de fato real porque ninguém se comporta naturalmente diante de uma câmera, Silvio Santos, puro show, é exceção à regra.
Não que Senor Abravanel estampe o tempo todo aquele sorriso contemplado pela TV. O caso é que o homem, 80 anos completados hoje, não tem como fugir daquela voz que tudo lhe deu, daquele timbre de quem venderia geladeira até no Polo Norte, e daquele senso de humor que nem as próprias desgraças perdoa.

Silvio sabe rir dos outros – mais do que de si. Ao fim daquele fatídico dia em que o sequestrador Fernando Dutra Pinto invadiu sua casa e lhe fez refém, diante de um exército de repórteres, fotógrafos e cinegrafistas, teve humor para contabilizar quantas horas a Rede Globo, sua rival, havia lhe dedicado em toda a programação.

Avesso a entrevistas, mas vaidoso, adora posar para a Caras. Há coisa de dois anos, fotografou, feliz da vida, para a capa da revista, ao lado dos manequins de cera em tamanho natural que trouxe dos Estados Unidos. Como empresário, Silvio Santos é excelente animador, e tem ciência disso – há um mês, por ocasião do rombo anunciado no Banco Panamericano, admitiu que nunca havia pisado na instituição e que seu negócio, em todo o grupo de 44 empresas, é de fato a televisão. A seguir, histórias, manias e paixões de Senor Abravanel, o camelô que virou magnata, por quem o conheceu por trás do pancake.

Silvio por Luciano Callegari (ex-diretor artístico e de programação do SBT, foi seu braço direito por 43 anos): "Com aquela risada, quem vai falar mal dele? Ele começa a dar risada na hora em que entra no palco, aquilo é uma máscara. Quando corta, é outro cara, e depois dos 70 anos, ele perdeu o rumo. Ele administra por conflito, gosta de jogar um executivo contra o outro. A liderança dele é a liderança do terror. Ele não tem amigos, não sabe participar de roda de amigos. Conta piada só no palco. Não tem vida social. Está recluso em Celebration, município ligado a Orlando. Leva filmes do Brasil para assistir lá. É ‘Um pobre homem rico’."

Silvio por Boni (José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, ex-vice-presidente de Operações da Rede Globo): "Silvio Santos e Senor Abravanel não são a mesma pessoa, como se pensa. Silvio Santos é o maior apresentador da televisão, em todos os tempos, comparável aos melhores do mundo. Senor Abravanel é um empresário centralizador que se orgulha de ter soluções próprias, quase sempre de bolso de colete, inesperadas e pouco convencionais. Às vezes dá certo, às vezes não. Mas temos que reconhecer que os dois são brilhantes, fato comprovado pela carreira deles."

Silvio por Roque (Gonçalo Roque, coordenador de auditório, fiel escudeiro há 47 anos): "Conheci Silvio Santos na Rua Sebastião Pereira, na Rádio Nacional, quando eu entregava correspondência e trabalhava na portaria. Acabei indo ajudá-lo nos programas de auditório, atendendo o público e entregando brindes. O segredo dele para encantar uma plateia é o coração. Uma vez ele me disse: ‘Meu público é o que tenho de mais importante.’ Um dia ele voltou dos EUA e falou: ‘Trouxe uma ideia: a partir de agora, quero os banheiros que recepcionam o público mais limpos que qualquer cozinha de casa.’ Hoje nossos banheiros têm o melhor papel higiênico, flores e até coqueiro. E ele inspeciona de vez em quando."

Microfone de lapela. Por Callegari: "Era o tempo da TV Paulista ou já início da Globo. O Silvio mandou trazer dois microfones (de lapela) dos Estados Unidos, eram os únicos no Brasil. Chamou o Hélio Siqueira, e disse: ‘Você vai ser responsável por esses microfones.

Quando for gravar, quando for embora, você tem que estar junto com isso, não larga, é sua responsabilidade’. Um dia o Hélio pegou os microfones, colocou no carro, banco de trás, e saímos, eu, ele e o Neymar de Barros, com umas meninas. Fomos jantar e tal, e quando voltamos, 4h da manhã, tinham roubado os microfones. Foi na rua Major Diogo, na Bela Vista. O Hélio ficou tão apavorado que perdeu a memória e foi internado. O Silvio chamou a gente de moleque, ameaçou mandar embora, e o Hélio lá internado. O Silvio foi ver o Hélio e o Hélio dizia ‘quem é o senhor?’ (Luciano conta às gargalhadas). Ele ficou quatro dias no hospital. Quando voltou a trabalhar, o Silvio foi até ele: "Tá melhor? Ótimo. Não pense que eu esqueci, não: você vai pagar 200 cruzeiros por mês, que eu vou descontar do seu salário, até pagar tudo’."

Bebedeira. Por Boni: "Ainda na TV Paulista, aluguei uns quartos no Hotel Jequitimar no Guarujá, que muito tempo depois viria a ser comprado pelo Silvio. Por acaso encontrei o Silvio na praia e convidei-o a tomar uma caipirinha especial, feita por mim. Como se sabe, o Silvio não bebe. Mas, talvez para fazer uma média comigo, topou. Tomou a caipirinha de uma vez, como se fosse remédio, e caiu duro na areia. Tivemos que removê-lo para o quarto e arejá-lo. Chamamos um médico, mas antes ele voltou a si, dizendo: ‘Se você quer o meu horário eu dou, não precisa me matar’."

Rotina. Por Roque: "Dia sim, dia não ele está no SBT. Chega geralmente 8h30, 9h. Grava três vezes por semana. No camarim dele não tem luxo. Mas ele faz questão da grelha e do fogão lá, porque é ele mesmo quem cozinha, quase sempre bife. E adora os queijinhos dele, provolone... Quem cuida do camarim é a dona Raimunda, que está com ele há uns 15, 20 anos."

O artista. Por Callegari: Ele contratou a Carla Perez no auge. Aí dizia: ‘ela está fazendo muito sucesso, deixa esfriar um pouco pra gente colocar ela no ar’. Ela ficou quatro meses na geladeira. A minha leitura é a seguinte: ele vê em cada cara que faz sucesso uma concorrência pra ele. Quantas vezes ele prejudicou o Gugu porque o Gugu dava mais audiência que ele? Ele aumentava os breaks (comerciais ) do Gugu, colocava calhau (publicidade do Grupo SS)..."

Dica para o momento. Por Boni: "O Silvio Santos precisa de muitas dicas artísticas, mas antes o Senor Abravanel precisa de muitas dicas empresariais. Como os dois são rápidos e inteligentes, o SBT poderia reassumir logo a sua posição."

Demissão. Por Roque: O Silvio nunca gostou que dirigissem pra ele. Mas o Palito era um manobrista que trabalhava para o Silvio há anos. Ele só manobrava o carro do Silvio, não dirigia. Mandaram o Palito embora uma vez e, quando o Silvio descobriu, falou que tudo bem, mas que ele só voltaria a trabalhar quando o Palito estivesse de volta."

Silvio por Silvio. "Fui obrigado a ser dono de televisão, eu não nasci dono de televisão, eu nasci animador de programas e continuaria sendo animador de programas, se os homens não fossem tão vaidosos, tão poderosos." (em 1989, em seu programa)

Cristina Padiglione e Alline Dauroiz

Stay With You - Estarei com você



 

 

 Stay With You

We've been together for a while now
We're growing stronger everyday now
It feels so good and there's no doubt
I will stay with you as each morning brings sunrise
And the flowers bloom in springtime
All my love you can rely
And I'll stay with you

Oh I'll stay with you through the ups and the downs
Oh I'll stay with you when no one else is around
And when the dark clouds arrive
I will stay by your side
I know we'll be alright
I will stay with you

Though relationships can get old
They had a tendency to grow cold
We have something like miracle
Yeah, I'll stay with you

Oh I'll stay with you through the ups and the downs
Oh I'll stay with you when no one else is around
And when the dark clouds arrive
I will stay by your side
I know we'll be alright
I will stay with you

And there will be heartaches and pains, yes it will
But through it all, we will remain
In this life, we all know
Friends may come, they may go
Through the years I know
I will stay
And in the end I know that we'll find
Love so beautiful and divine
We'll be lovers for the lifetime, yeah
And I'll stay with you
I will stay with you

Oh I'll stay with you through the ups and the downs
Oh I'll stay with you when no one else is around
And when the dark clouds arrive
I will stay by your side
I know we'll be alright
I will stay with you
Everything will be fine
And I will stay with you
Through the end of time
I will stay with you

Estarei com você

Nós temos estado juntos por enquanto, agora
Nos crescemos, ficamos mais fortes todos os dias, agora
nos sentimos bem e sem dúvidas
eu estarei com você como cada manhã traz o nascer do sol
e o florescer das flores na primavera
todo meu amor você pode confiar
e eu irei estarei com você

Oh, eu irei estar com você através dos altos e baixos
Oh, eu irei estar com você quando niguém mais estiver por perto
e quando as nuvens negras chegarem
eu estarei do seu lado
eu sei que ficaremos bem
eu iriei estar com você

Embora as relações possam começar a envelhecer
Elas possuem uma tendência a esfriar
Nós temos algo como milagre
Sim, eu irei estar com você

Oh, eu estarei com voçê durante os altos e baixos
Oh, eu estarei com voçê quando não ouver ninguém por perto
e quando as nuvems negras chegarem
eu estarei ao seu lado
eu sei que ficaremos bem
eu estrei ao seu lado

e haverá algumas angústias e dores, sim haverá
mas durante tudo isso, nós iremos lembrar
que nesta vida, todos nós sabemos
que amigos podem vir, eles podem ir
Durante os anos, eu sei
eu irei estar
e no final, eu sei, que nos encontraremos
amor tão bonito e divino
nos seremos amantes durante toda a vida, yeah
e eu estarei ao seu lado
eu estarei ao seu lado

Oh, eu irei estar com você durante os altos e baixos
Oh, eu irei estar com você quando niguém mais estiver por perto
e quando as nuvems negras chegarem
eu estarei ao seu lado
eu sei que ficaremos bem
eu estarei com você
e tudo ficará bem
e eu estarei ao seu lado
durante o final do tempo
eu irei estar com você
Essa música é pra você amor de minha vida, não temeremos o futuro porque temos um ao outro e estaremos sempre juntos.
Elsy Myrian Pantoja

sábado, 11 de dezembro de 2010

Hold My Hand (Dueto de Akon e Michael Jackson) - video e tradução







Compositor: Akon


Essa vida não dura para sempre (segure minha mão)
Então me diga o que estamos esperando
(segure minha mão)
Somos melhores juntos (segure minha mão)
Do que sozinhos miseravelmente (segure minha
mão)

Já estive lá antes
E você também
Mas juntos podemos ser fortes.
Quando fica escuro e frio
Nós podemos agarra-nos uns aos outros até que o sol
surja

Michael (Portanto, se você apenas)
(Michael / Akon) segurar minha mão
Baby, eu prometo que farei tudo o que posso
As coisas vão melhorar se você só segurar minha mão
Nada pode estar entre nós se você segurar, segurar
a minha, sem soltar a minha, segure minha mão.

Michael - Segure minha mão

As noites estão ficando mais escuras (segure minha
mão)
E não há nenhuma paz interior (segure minha mão)
Então, por tornar nossa vida mais difícil (segure
minha mão)
Por brigar pelo amor, esta noite

(Michael/ Akon)
Fui lá antes
E você foi lá antes
Mas juntos podemos ser fortes.
Quando fica escuro e quando se faz frio
Nós podemos nos abraçar até que venha a luz do sol

Portanto, se você segurar minha mão
Baby, eu prometo que farei tudo o que posso
As coisas vão melhorar se você só segurar minha mão
Nada pode vir a estar entre nós se você só segurar
minha mão

Michael - Segure a minha mão

Posso te dizer que estou cansado de ser sozinho
Pegue a minha mão e não me deixe ir, baby, me abrace
(me abrace)
Venha para mim, deixe-me ser o seu único (segure
minha
mão)
Então poderei fazer com que fique tudo bem até de
manhã (segure minha mão)

Posso te dizer que estou cansado de ser sozinho
Pegue a minha mão e não me deixe ir, baby, me abrace
(me abrace)
Venha para mim, deixe-me ser o seu único (segure
minha
mão)
Então poderei fazer com que fique tudo bem até de
manhã (segure minha mão)

Michael - Segure a minha mão

Segure a minha mão (yehh)
Amor, eu prometo (segure minha mão) que eu farei tudo
o que posso (segure minha mão)
As coisas vão ficar melhores(oohhhhoooo) Se você
apenas segurar minha mão (ooooo)
Nada pode ficar entre nós, se você apenas segurar,
segurar minha, segurar minha, segurar segurar minha
mão

Segure a minha mão (yehh)
Amor, eu prometo (segure minha mão) que eu farei tudo
o que posso (segure minha mão)
As coisas vão ficar melhores(oohhhhoooo) Se você
apenas segurar minha mão (ooooo)
Nada pode ficar entre nós, se você apenas segurar,
segurar minha, segurar minha, segurar segurar minha
mão

Akon - segure a minha mão

(piano no final)

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

DENTRO DO SONHO

 
 
 
As várias coisas que acontecem, as várias formas assumidas pela vida, têm uma natureza efémera. Todas são passageiras. Coisas, corpos, egos, acontecimentos, situações, pensamentos, emoções, desejos, ambições, medos, dramas... todos chegam, fingem ser importantes e, quase sem nos darmos conta, desaparecem, dissolvem-se no nada de onde vieram. Terão alguma vez sido reais? Terão alguma vez sido mais do que um sonho, o sonho da forma?

Quando acordamos de manhã, o sonho da noite dissolve-se e nós dizemos: "Era um sonho, não era real." Mas alguma coisa no sonho deve ter sido real, senão ele não existiria. Quando a morte se aproxima, talvez olhemos para trás e nos questionemos se a nossa vida foi apenas mais um sonho. Mesmo agora, se olharmos para as férias do ano passado ou para o que se passou ontem, verificamos que é muito semelhante ao sonho que tivemos a noite passada.
Existe o sonho e existe o sonhador do sonho. O sonho é um breve jogo de formas. É o mundo - relativamente real, mas não absolutamente real. Depois há o sonhador, a realidade absoluta, na qual as formas vão e vêm. O sonhador não é a pessoa. A pessoa faz parte do sonho. O sonhador é a base na qual o sonho aparece, aquilo que torna o sonho possível. É o absoluto que subjaz ao relativo, o intemporal que subjaz ao tempo, a consciência na forma e por detrás da forma. O sonhador é a própria consciência - quem nós somos.

Acordar dentro do sonho é o nosso intuito agora. Quando estamos despertos dentro do sonho, o drama do mundo criado pelo ego chega ao fim, e um sonho mais benéfico e maravilhoso começa. É o novo mundo.


(Eckhart Tolle in Um novo mundo)

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

IANSÃ - Salve o Dia 04 de Dezembro! Eparrei Oyá!


Mitos, Lendas, Associações e Principais Características
Senhora da Tarde, Dona dos Espíritos, Senhora dos Raios e das Tempestades.
Oyá, mais conhecida no Brasil como Yansã, foi uma princesa real na cidade de Irá, na Nigéria em 1450a.C.. Sobrinha-neta do rei Elempe e neta de Torossi(mãe de Xangô), conquistou com valentia, coragem e dedicação seu caminho para o trono de Oyó.
Conhecedora de todos os meandros da magia encantada, nunca se deixou abater por guerras, problemas e disputas.
Foi mulher de seu primo Xangô e ajudou-o a conquistar vários reinos anexados ao Império Yorubano. Porém, abandonou-o em defesa de sua cidade natal, disposta a enfrentá-lo.
Oyá recebeu, de Olorun, a missão de transformar e renovar a natureza através do vento, que ela sabe manipular. O vento nem sempre é tão forte, mas, algumas vezes, forma-se uma tormenta, que provoca muita destruição e mudanças por onde passa, havendo uma reciclagem natural. Normalmente, Oyá sopra a brisa, que, com sua doçura, espalha a criação, fazendo voar as sementes, que irão germinar na terra e fazer brotar uma nova vida. Além disso, esse vento manso também é responsável pelo processo de evaporação de todas as águas da terra, atuando junto aos rios e mares. Esse fenômeno é vital para a renovação dos recursos naturais, que, ao provocar as chuvas, estarão fertilizando a terra.
Divindade eólica, sopram os ventos que afastam as nuvens, para a passagem dos raios desferidos por Xangô. E é o raio que abre os reservatórios do céu, para fazer cair a chuva, relação comum em todas as mitologias.
Apesar de dominar o vento, Oyá originou-se na água, assim como as outras yabas, que possuem o poder da procriação e da fertilidade. Está relacionada com o número 9, indicativo principal do seu odú.
Oyá está associada ao ar, ao vento, a tempestade, ao relâmpago/raio (ar+movimento e fogo) e aos ancestrais (eguns). Na Nigéria ela é a deusa do rio Niger. É a menina dos olhos de Oxalá, seu protetor, e a única divindade que entra no Ibalé dos Eguns(mortos).
Oyá tem ligações com o mundo subterrâneo, onde habitam os mortos, sendo o único orixá capaz de enfrentar os eguns. Entre as individuações da multifacetária Iansã, uma delas é como Deusa dos Cemitérios.
Impetuosa, guerreira e de forte personalidade, é reverenciada no culto dos eguns. Em yorubá, chama-se Odò Oyà.
Oyá, em tempos remotos, era patrona (ou matrona) de uma sociedade secreta feminina, que cultuava os ancestrais (pessoas já desencarnadas pertencentes à religião), que denominamos Egungun. Foi o orixá Ogun que conseguiu acabar com a primazia das mulheres nesse culto, que passou a ser exclusivamente masculino. Mas, apesar disto, Oyá ainda é reverenciada nessa sociedade.
Oyá, segundo a mitologia, é um orixá muito forte, enfrentando a tudo e a todos por seus ideais. Não aceita a submissão ou qualquer tipo de prisão.
Faz parte de sua indumentária a espada curva (alfanje), o erukere, que usava para sua defesa, além de muitos braceletes e objetos de cobre.
Sua dança é muito expansiva, ocupando grande espaço e chamando muita atenção.
Duas espadas e um par de chifres de búfalo representam a imagem de Oyà.
Suas contas são vermelhas ou tijolo, o coral por excelência, o monjoló (uma espécie de conta africana, oriunda de lava vulcânica).
Seus símbolos são: os chifres de búfalo, um alfanje, adaga, eruesin [eruexin] (confeccionado com pelos de rabo de cavalo, encravados em um cabo de cobre, utilizado para "espantar os eguns").
Com Oxalá aprendeu sobre o uso do raciocínio e o dom da paciência. Por isso ela não desiste facilmente de seus objetivos, sabendo esperar o momento certo para conquistá-los.
Oyá é puro movimento. Não pode ficar parada, para não extinguir sua energia. O vento nunca morre, ele está sempre percorrendo novos espaços.
Arquétipo
Arquetipicamente, Iansã é a mulher guerreira que, em vez de ficar no lar, vai à guerra. São assim os filhos de Iansã, que preferem as batalhas grandes e dramáticas ao cotidiano repetitivo.
Costumam ver guerra em tudo, sendo portanto competitivos, agressivos e dados a ataques de cólera. Ao contrário, porém, da busca de certa estratégia militar, que faz parte da maneira de ser dos filhos de Ogum, que enfrentam a guerra do dia-a-dia, os filhos de Iansã costumam ser mais individualistas, achando que com a coragem e a disposição para a batalha, vencerão todos os problemas, sendo menos sistemáticos, portanto, que os filhos de Ogum.
São quase que invariavelmente de Iansã, os personagens que transformam a vida num buscar desenfreado tanto de prazer como dos riscos. São fortemente influenciados pelo arquétipo da deusa aquelas figuras que repentinamente mudam todo o rumo da sua vida por um amor ou por um ideal. Faz parte dos filhos de Iansã a maior arte dos militantes políticos não cerebrais por excelência. Ao mesmo tempo, quando rompem com uma ideologia e abraçam outra, vão mergulhar de cabeça no novo território, repudiando a experiência anterior de forma dramática e exagerada, mal reconhecendo em si mesmos, as pessoas que lutavam por idéias tão diferentes. Talvez uma súbita conversão religiosa, fazendo com que a pessoa mude completamente de código de valores morais e até de eixo base de sua vida, pode acontecer com os filhos de Iansã num dado momento de sua vida.
Da mesma forma que o filho de Iansã revirou sua vida uma vez de pernas para o ar, poderá novamente chegar à conclusão de que estava enganado e, algum tempo depois, fazer mais uma alteração - tão ou mais radical ainda que a anterior.
O temperamento dos que têm Oyá como Orixá de cabeça, costuma ser instável, exagerado, dramático em questões que, para outras pessoas não mereceriam tanta atenção e, principalmente, tão grande dispêndio de energia.
São do tipo Iansã, aquelas pessoas que podem ter um desastroso ataque de cólera no meio de uma festa, num acontecimento social, na casa de um amigo - e, o que é mais desconcertante, momentos após extravasar uma irreprimível felicidade, fazer questão de mostrar, à todos, aspectos particulares de sua vida.
Como esse arquétipo que gera muitos fatos, é comum que pessoas de Iansã surjam freqüentemente nos noticiários. Ao mesmo tempo, é um caráter cheio de variações, de atitudes súbitas e imprevisíveis que costumam fascinar (senão aterrorizar) os que os cercam e os grandes interessados no comportamento humano.
Os Filhos de Iansã são atirados, extrovertidos e chocantemente diretos. Às vezes tentam ser maquiavélicos ou sutis, mas só detidamente. A longo prazo, um filho de Iansã sempre acaba mostrando cabalmente quais seus objetivos e pretensões. Eles têm uma tendência a desenvolver vida sexual muito irregular, pontilhada por súbitas paixões, que começam de repente e podem terminar mais inesperadamente ainda. São muito ciumentos, possessivo, muitas vezes se mostrando incapazes de perdoar qualquer traição - que não a que ele mesmo faz contra o ser amado. Ao mesmo tempo, costumam ser amigos fiéis para os poucos escolhidos ara seu círculo mais íntimo.
Um problema, porém, pode atrapalhar tudo: a inconstância com que vê sua vida amorosa; outros detalhes podem também contaminar os aspectos profissionais.
Todas essas características criam uma grande dificuldade de relacionamentos duradouros com os filhos de Iansã. Se por um lado são alegres e expansivos, por outro, podem ser muito violentos quando contrariados; se têm a tendência para a franqueza e para o estilo direto, também não podem ser considerados confiáveis, pois fatos menores provocam reações enormes e, quando possessos, não há ética que segure os filhos de Iansã, dispostos a destruir tudo com seu vento forte e arrasador.
Resumo
Sincretismo: Santa Bárbara
Suas cores: vermelho e coral
Saudação : Eparrei!
Seu dia : Quarta-feira
Comida predileta: acarajé, milho temperado com camarão e azeite de dendê.
Frutas e verduras: manga rosa, uva vermelha, maçã, cenoura, quiabo.
Plantas: espada de Iansã (borda amarela) e bambu.
Elemento: fogo e ar
Festa: 4 de dezembro, dia de Santa Bárbara, com quem está identificada.
Pedras: rubi, coral, granada.
Fonte de pesquisa:

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

UMA ÁRVORE SEM RAIZ NÃO FICA EM PÉ

 
Uma árvore sem raiz não fica em pé", essa é uma das frases que melhor define o trabalho . Através do reggae, o grupo une resistência cultural ao resgate de suas raízes, sendo a música um veículo para suas mensagens de igualdade, amor verdadeiro e fé
"Sinta a música, entre dentro dela, veja o que a música tem a lhe mostrar!"
"Para que os bons sonhos venham ser reais e tenhamos nós dias de plena paz, não se omita, faça sua parte em prol... Abre mão do egoísmo, vamos nos redimir! Dê mais amor ao seu próximo, Deus quer que seja assim! Faça o bem sem ver a quem!!!"

Coletânea de poemas de vários autores - Trabalho Primoroso da Poetisa Luna de Primo