Seguidores

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Esse vídeo é uma homenagem aos que almejam um mundo melhor

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Reflexão do Fim de Ano


Um novo ano se aproxima e com ele as nossas expectativas de um mundo melhor e mais justo. O importante é seguir em frente o que fizemos ou deixamos de fazer agora pertence ao passado, é hora de refazer planos e criar projetos de vida de acordo com a nossa realidade.


Propormos-nos a errar menos, a sermos mais solidários com nossos semelhantes e nos unirmos cada vez mais a nossa família e amigos.

Devemos aproveitar o momento para refletir e nos auto-analisar e assim elevarmos nosso espírito, em busca da tão desejada paz.

Elsy Myrian Pantoja
Imagem Google

sábado, 26 de dezembro de 2009

Máscaras



O que não existe, o que não é real tem como característica a falsidade. Em nossa sociedade atual, muitos indivíduos sentem a necessidade de vivenciar uma personalidade que não é sua, cria em seu imaginário um personagem e neles se apóiam para vários fins. O engodo, o disfarce que usam e a desfaçatez se tornam necessários para a busca do reconhecimento e da bajulação. Em sua insanidade esse tipo de pessoa, usa de todas os artífices para obter credibilidade em suas ações . A concepção de falsidade traz certos proveitos, omitindo quem é verdadeiramente o falsário se mostra de maneira diferente para obter vantagens, lucros, ascensão social etc...
Cito aqui o grande jurista Rui Barbosa que afirmou certa vez, que de tanto ver triunfar a mentira e a falsidade, tinha até vergonha de ser honesto.
É muito fácil tornar uma historia cativante, basta ir acrescentado a ela alguns detalhes, pincelando com enredos fictícios é assim que muita gente sofre quando cai nas mãos de uma criatura dessa estirpe. Usando de apelo emocional geralmente se fazendo de vitima esse tipo de pessoa vai deixando para trás um rastro de decepções e dor. Mas como mentira tem pernas curtas um dia o falsário se dá mal vitima de seu próprio ardil.

Elsy Myrian Pantoja
Imagem Google

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Homenagem a atleta Marta


Marta, quatro vezes premiada isso sim nos dá um orgulho imenso. Com apenas 23 anos já é destaque no mundo inteiro por suas atitudes positivas diante da sociedade.


Como mulher e brasileira é gostoso admirar seu carisma e humildade que coadunam com os méritos de atleta e uma grande esportista.

Parabéns Marta por representar tão bem nossa pátria e a alma brasileira.

Elsy Myrian Pantoja
Imagem Google

sábado, 19 de dezembro de 2009

Que Natal é esse?


Falar de crianças no momento atual é complicado. Tivemos um ano conturbado onde a pedofilia veio a midia com força, denuncias e mais denuncias demostrando assim que os pais ou envolvidos na questão estão perdendo o medo de denunciar os monstros. Em véspera das festas natalinas o que mas lembramos são os pequenos seres, pois a mágica do natal estar com eles, Papai Noel, Renas, presentes enfim tudo nos remete a infância tanto nossa como de nossos filhos , netos e agregados.


Mas um fato calou fundo o Natal desse ano de 2009, o caso da criança no interior da Bahia na cidade de Ibotirama, onde pessoas desprovidas de qualquer senso moral ou religioso , animais na melhor acepção da palavra cometeram atos que só vemos em filmes de terror barato e achando que jamais isso poderia acontecer no mundo real.

Confesso que meu lado insano veio a tona nesse caso, visualizei as pessoas envolvidas em tal caso, sendo torturadas da mesma forma, só que de um jeito mais cruel, em meus devaneios vingativos e que Deus me perdoe por isso, me vi enfiando pregos daqueles bem grandões no corpo desses monstros de forma lenta um a um para que eles sentissem a mesma dor que a pequena criança sentiu.

Sei que tal ato que visualizei não é um pensamento saudavel, mas há momentos que nos despojamos de qualquer resquício de nosso estágio evolutivo e voltamos a bárbarie onde o sangue era resgatado com mais sangue ainda.

Sinceramente me perdoem pela idéia, mas foi o que me ocorreu no momento diante de minha indignação por tamanha insanidade. Agora me questiono o que fazer com essas criaturas que me recuso a chamar de humanos e muito menos de animais, aberrações da natureza que talvez tenham vindo a esse mundo para mostrar que nosso estagio evolutivo ainda estar longe de ser considerado de uma humanidade sã.







Elsy Myrian Pantoja



Imagem google

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Dia 17 de dezembro dia de São Lázaro

Dia de 17 de Dezembro é o dia de celebração a São Lázaro, um dos mais importantes personagens da história da passagem de Cristo pela Terra.


Segundo as escrituras de nossos irmãos católicos, Lázaro (variação do nome Eliazar) era amigo de Jesus, e havia ficado muito doente. O Mestre foi comunicado da enfermidade do amigo. Porém, ao chegar em sua Casa deparou-se com a triste notícia de que Lázaro já havia desencarnado.
Porém, Jesus vira-se para as irmãs de Lázaro e diz: "Eu sou a ressurreição e a vida. os que acreditam em mim não morrerão para sempre". E ordena: "Lázaro! Em nome do Pai! Saia!"
E Lázaro, desencarnado há quatro dias, retorna à vida terrena, ressucitado milagrosamente, segundo as escrituras, e visto por toda a multidão que contemplou o fato.
Na Umbanda, a imagem de São Lázaro está ligada a um dos mais controversos Orixás: Omulu.


Na verdade Omulu é a fase mais velha do orixá Xapanã (a fase jovem é Obaluaê, sincretizado com São Roque, cuja data de comemoração é dia 16 de Agosto).
Infelizmente a força de Omulu é mal interpretada por muitos adeptos da umbanda. E há ainda alguns dirigentes de Umbanda que utilizam dessa falha de informação para transformá-lo em objeto de medo e de manipulação dos filhos de fé. Muitos dizem erroneamente que ele é o Orixá que traz a morte, que nos traz a doença.
De fato, Omulu é a força que está presente no instante da passagem do plano material para o espiritual. Ele é o conhecedor dos mitérios da vida e da morte, e por isso é conhecedor de todas as doenças e maselas. Mas não para nos trazer doenças, peste, morte.
É preciso entender que entidade de Umbanda trabalha para o BEM!!!
Por ser conhecedor de todas as enfermidades, Omulu é também aquele que sabe a cura certa para cada uma delas, sendo o filho de fé merecedor de receber tal cura.
Ele também é o socorrista espiritual, que faz o primeiro atendimento ao espírito recém-desencarnado.
É preciso acabar com certas mistificações que denigrem a imagem de nossa Umbanda, e favorece alguns dirigentes que insistem em ter o "poder" em suas mãos.
Rogamos então ao nosso Pai Omulu que cure as mentes dessas pessoas, que ainda se encontram na doença da ignorância.
Salve São Lázaro!
Atotô!!!

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

A evolução da forma




Toda forma que vês
tem seu arquétipo no mundo sem-lugar.
Se a forma esvanece, não importa,
permanece o original.

As belas figuras que viste,
as sábias palavras que escutaste,
não te entristeças se pereceram.

Enquanto a fonte é abundante,
o rio dá água sem cessar.
Por que te lamentas se nenhum dos
dois se detém?

A alma é a fonte,
e as coisas criadas, os rios.
Enquanto a fonte jorra, correm os rios.
Tira da cabeça todo o pesar
e sorve aos borbotões a água deste rio.
Que a água não seca, ela não tem fim.

Desde que chegaste ao mundo do ser,
uma escada foi posta diante de ti,
para que escapasses.
Primeiro, foste mineral;
depois, te tornaste planta,
e mais tarde, animal.
Como pode ser isto segredo para ti?

Finalmente foste feito homem,
com conhecimento, razão e fé.
Contempla teu corpo; um punhado de pó
vê quão perfeito se tornou!

Quando tiveres cumprido tua jornada,
decerto hás de regressar como anjo;
depois disso, terás terminado de vez com a terra,
e tua estação há de ser o céu.

Passa de novo pela vida angelical,
entra naquele oceano,
e que tua gota se torne o mar,
cem vezes maior que o Mar de Oman.

Abandona este filho que chamas corpo
e diz sempre Um; com toda a alma.
Se teu corpo envelhece, que importa?
Ainda é fresca tua alma.

Jalal ud-Din Rumi


Celebrado como o poeta do amor e o maior dos místicos islâmicos, Jalal ud-Din Rumi (1207-1273) é um entusiasta do amor universal. Nascido na região da Pérsia – hoje Afeganistão – o sufi passou pelo Irã e faleceu na Turquia. Era um erudito professor de teologia quando viu sua vida mudar após um encontro com a figura misteriosa do monge Shams de Tabriz. O grandioso encontro rendeu a Rumi uma experiência mística do amor que transformaria sua vida para sempre.

Seu reconhecimento ao monge foi tão grande que lhe dedicou um livro com 3.230 versos, o Divan de Shams de Tabriz. Divan significa coleção de poemas. Rumi produziu também o Masnavi (poemas de cunho reflexivo) e o Rubaivat (Canção de amor a Deus).

A sensibilidade e a expressão do amor em Rumi é tão forte que enlaça tudo - a natureza, as pessoas, Deus, o universo - numa unidade só. Seu misticismo desafia a razão ao ultrapassar a dimensão individual e trazer a tona o momento em que o ser descobre a si mesmo como parte de um Todo complexo e amoroso.
Sua paixão divina foi tanta que lhe inspirou inventar uma dança cósmica, a sama. Inspirada no movimento dos astros, na dança cada ser dançante é chamado de dervixe e gira em torno de si e ao redor de um eixo que representa o sol. A idéia é cada dervixe se sinta como um planeta girando ao redor do sol, que é visto como Deus.

Doces desejos



Ah o amor


Bom sermos amados


Entregar-se por inteiro


Mesmo que lá adiante


O coração fique partido ao meio





As caricias plenas


Devastando a alma


Plena de desejos


Vem completar


Os nossos íntimos anseios





Devagar não há pressa


Temos tempo bastante


Vamos amar e amar


Em uma volúpia constante





E quando chegar a aurora


E os pássaros anunciarem


Que é hora de dizer adeus


Restará a lembranças


Que estive nos braços teus

Elsy Myrian Pantoja
Imagem Google

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

This Little Light Of Mine (Live In Dublin)

Borboletas no meu jardim




As borboletas voltaram ao meu jardim...


Lindas e multicoloridas


Trouxeram a primavera ao meu coração


Cheiro de jasmim, violetas e rosas


Invadem meus sentidos


Trazendo novamente uma doce paixão!!!

Elsy Myrian Pantoja
Imagem Google

sábado, 12 de dezembro de 2009

APOLO



Apolo, filho de Zeus e Leto, e irmão gémeo de Ártemis, deusa da caça, era um dos mais importantes e multifacetados deuses do Olimpo. Nas mitologias grega, romana e etrusca, Apolo foi identificado como o deus da luz e do sol, da verdade e da profecia, do pastoreio, do tiro com arco, da beleza, da medicina e da cura, da música, da poesia e das artes. Apolo representa a harmonia, a moderação, a ordem e a razão.

Apolo nasceu de um dos amores adulterinos de Zeus. Quando Hera descobriu a gravidez da rival Leto, proibiu-lhe que desse à luz em terra firme, fosse no continente fosse em qualquer ilha, e colocou em seu encalço a serpente Píton. Perambulando sem destino, Leto acabou por chegar a Delos, uma ilha flutuante criada por Poseidon, compadecido dos seus sofrimentos, e ali deu à luz aos seus gêmeos Apolo e Ártemis. Depois do nascimento, Zeus fixou a ilha no fundo do mar, e mais tarde ela foi consagrada a Apolo.



Amantes

Boa parte dos mitos que dizem respeito a Apolo falam dos seus inúmeros amores, sendo os mais famosos Dafne, uma ninfa que rejeitou seu amor e foi transformada em loureiro (daí a sacralidade da árvore para Apolo), Jacinto, que se transformou na flor com o mesmo nome, e Ciparisso, o qual se transformou em cipreste. Nestes mitos amorosos Apolo nunca tem sorte, e conta-se que isto se deve ao facto de ele se gabar de ser o melhor arqueiro entre os deuses, o que fez com que Eros, deus do amor, sentisse inveja. Apolo também amou Leucotéia, Castália, Sínope, Marpessa, Cassandra e Acanta.


Ele é o deus da palestra, onde os jovens se reuniam para praticar atletismo. Apolo representava para eles o educador ideal, o erastes. Todos os seus amantes masculinos eram mais jovens que ele, como era o hábito entre os gregos. Muitos destes jovens "morreram", significando que estes mitos simbolizavam ritos de passagem, quando o jovem deveria morrer para renascer como adulto.




Vitória sobre a serpente Píton

O lodo com que as águas do dilúvio recobriram a Terra acarretou uma excessiva fertilidade, que produziu enorme variedade de coisas, boas e más. Entre elas, surgiu Píton, uma serpente enorme, terror do povo, que se refugiou nas cavernas do Monte Parnaso. Apolo matou-a com suas setas — armas que não usara antes senão contra fracos animais, como lebres, cabras monteses e outras semelhantes. Para comemorar essa grande vitória, ele instituiu os jogos píticos, nos quais o vencedor nas provas de força, rapidez na carreira ou nas corridas de carro era coroado com uma grinalda de folhas de faia, pois o loureiro ainda não fora escolhido por Apolo como sua planta predileta.


A famosa estátua de Apolo do Belvedere representa o deus depois de sua vitória sobre a serpente Píton.



APOLO E DAFNE


Dafne foi o primeiro amor de Apolo. Não surgiu por acaso, mas pela malícia de Cupido. Apolo viu o menino brincando com seu arco e suas setas e, estando ele próprio muito envaidecido com sua recente vitória sobre Píton, disse-lhe:
— Que tens a fazer com armas mortíferas, menino insolente? Deixe-as para as mãos de quem delas sejam dignos. Vê a vitória que com elas alcancei, contra a vasta serpente que estendia o corpo venenoso por grande extensão da planície! Contenta-te com tua tocha, criança, e atiça tua chama, como costumas dizer, mas não te atrevas a intrometer-te com minhas armas.


O filho de Vênus ouviu essas palavras e retrucou:
— Tuas setas podem ferir todas as outras coisas, Apolo, mas as minhas podem ferir-te.
Assim dizendo, pôs-se de pé numa rocha do Parnaso e tirou da aljava duas setas diferentes, uma feita para atrair o amor; outra, para afastá-lo. A primeira era de ouro e tinha a ponta aguçada, a segunda, de ponta rombuda, era de chumbo. Com a seta de ponta de chumbo, feriu a ninfa Dafne, filha do rio-deus Peneu, e com a de ouro feriu Apolo no coração.


Sem demora, o deus foi tomado de amor pela donzela e esta sentiu horror à idéia de amar. Seu prazer consistia nas caminhadas pelos bosques e na caça. Muitos amantes a buscavam, mas ela recusava a todos, passeando pelos bosques, sem pensar em Cupido nem em Himeneu. Seu pai muitas vezes lhe dizia: "Filha, deves dar-me um genro, dar-me netos." Temendo o casamento como a um crime, com as belas faces coradas, ela se abraçou ao pai, implorando: "Concede esta graça, pai querido! Faze com que eu não me case jamais!"


A contragosto, ele consentiu, observando, ao mesmo tempo, porém:
— O teu próprio rosto é contrário a este voto.
Apolo amou-a e lutou para obtê-la; ele, que era o oráculo de todo o mundo, não foi bastante sábio para prever o seu próprio destino. Vendo os cabelos caírem desordenados pelos ombros da ninfa, imaginou: "Se são tão belos em desordem, como deverão ser quando arranjados?" Viu seus olhos brilharem como estrelas; viu seus lábios, e não se deu por satisfeito só em vê-los. Admirou suas mãos e os braços, nus até os ombros, e tudo que estava escondido da vista imaginou mais belo ainda. Seguiu-a; ela fugiu, mais rápida que o vento, e não se retardou um momento ante suas súplicas.

— Pára, filha de Peneu! — ele exclamou. Não sou um inimigo. Não fujas de mim, como a ovelha foge do lobo, ou a pomba do milhafre. É por amor que te persigo. Sofro de medo que, por minha culpa, caias e te machuques nestas pedras. Não corras tão depressa, peço-te, e correrei também mais devagar. Não sou um homem rude, um campônio boçal. Júpiter é meu pai, sou senhor de Delfos e Tenedos e conheço todas as coisas, presentes e futuras. Sou o deus do canto e da lira. Minhas setas voam certeiras para o alvo. Mas, ah!, uma seta mais fatal que as minhas atravessou-me o coração! Sou o deus da medicina e conheço a virtude de todas as plantas medicinais. Ah! Sofro de uma enfermidade que bálsamo algum pode curar!


A ninfa continuou sua fuga, nem ouvindo de todo a súplica do deus. E, mesmo ao fugir, ela o encantava. O vento agitava-lhe as vestes e os cabelos desatados lhe caíam pelas costas. O deus sentiu-se impaciente ao ver desprezados os seus rogos e, excitado por Cupido, diminuiu a distância que o separava da jovem. Era como um cão perseguindo uma lebre, com a boca aberta, pronto para apanhá-la, enquanto o débil animal avança, escapando no último momento. Assim voavam o deus e a virgem: ela com as asas do medo; ele com as do amor. O perseguidor é mais rápido, porém, e adianta-se na carreira: sua respiração ofegante, já atinge os cabelos da ninfa. As forças de Dafne começam a fraquejar e, prestes a cair, ela invoca seu pai, o rio-deus:
— Ajuda-me, Peneu! Abre a terra para envolver-me, ou muda minhas formas, que me têm sido tão fatais!

Mal pronunciara estas palavras, um torpor lhe ganha todos os membros; seu peito começou a revestir-se de uma leve casca; seus cabelos transformaram-se em folhas; seus braços mudam-se em galhos; os pés cravam-se no chão, como raízes; seu rosto tornou-se o cimo do arbusto, nada conservando do que fora, a não ser a beleza.
Apolo abraçou-se aos ramos da árvore e beijou ardentemente a madeira. Os ramos afastaram-se de seus lábios.
— Já que não podes ser minha esposa — exclamou o deus — serás a minha planta preferida. Usarei tuas folhas como coroa; com elas enfeitarei minha lira e minha aljava; e quando os grandes conquistadores romanos caminharem para o Capitólio, à frente dos cortejos triunfais, serás usada como coroas para suas frontes. E, tão eternamente jovem quanto eu próprio, também hás de ser sempre verde e tuas folhas não envelhecerão.
Não parecerá estranho, sem dúvida, que Apolo fosse o deus tanto da música quanto da poesia.






fontes:
- pt.wikipedia.org
- Thomas Bulfinch - O livro de Ouro da Mitologia - História de Deuses e Heróis

Surround Me With Your Love tradução Me cerque com seu amor - Poter

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Momento feliz




Felicidade é um estado de graça
Atentos sempre
Pra saber quando estamos vivendo
Este momento

Estou muito feliz
Quase explodindo
De alegria
O retorno a casa
Do filho amado
Voltando de uma árdua jornada

E vê a prole reunida
Em volta da mesa
É a felicidade suprema
Risos, brilhos nos olhos
Abraços e muito afeto
Eu e meu clã
Somos felizes

Elsy Myrian Pantoja
Imagem google


Ou se tem talento ou não tem - Mike do Mosquiteiro

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Vidas paridas



Vidas nascidas... Paridas
Rompendo o casulo
Explosão de luz

Elsy Myrian Pantoja
Imagem Google

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Mozart versus Salieri





Até os dias de hoje, há controvérsias sobre o verdadeiro papel de Salieri na vida de Mozart. Amigos da época ajudaram a confundir toda a história desses dois gênios da música, parceiros? Amigos? Rivais? Cada vertente cultural apresenta sua versão dos fatos. Uma coisa não se pode negar foram gênios e quando Mozart compôs seu famoso Réquiem já estava bem debilitado e quem o ajudou na construção desta obra magistral, foi nada menos que Salieri. Eu admiro a obra dos dois prefiro acreditar que tenham sido ótimos amigos cada um com seu estilo, mas inegavelmente gênios.


Antonio Salieri Compositor italiano, mestre da capela imperial em Viena (1788-1824).
Chegou de Legnano à capital austríaca, em 1766.
Tornou-se compositor oficial da corte de José II em 1774 e mestre de capela em 1788.
Após a morte do imperador José II, em 1790, abandonou a direção da ópera devido a não manter boas relações com o seu sucessor, Leopoldo II, tendo somente conservado o cargo de mestre de capela até 1824.

Elsy Myrian Pantoja
Imagem Google

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Nossa Senhora da Conceição



Muitos séculos antes de a Igreja Católica proclamar o dogma da Imaculada Conceição de Maria, o povo reconhecia a pureza da Mãe de Deus, concebida sem a mancha do pecado original, e celebrava sua festa a 8 de dezembro.

Segundo a tradição Nossa Senhora apareceu a várias pessoas confirmando a sua Conceição Imaculada e, após a proclamação do dogma pelo santo Padre Pio IX, Maria Santíssima deu-se a conhecer em Lourdes a Bernadette Soubirous dizendo: – “Eu sou a Imaculada Conceição”.
Em Portugal, Nossa Senhora da Conceição possuía grande número de devotos quando seu culto foi oficializado por D. João IV, primeiro rei da dinastia de Bragança, que fora aclamado a 1º de dezembro de 1640, data em que se iniciava a oitava da festa da Imaculada Conceição. Seis anos depois, com a aprovação das Cortes de Lisboa, ele dedicou à Virgem Imaculada o reino português. Em todo o território lusitano, assim como em suas colônias, a festa da Imaculada Conceição de Maria tornou-se oficial e obrigatória.
No Brasil a imagem da Virgem Conceição chegou em uma das naus de Pedro Álvares Cabral. Ela representa Maria Santíssima de pé sobre o globo terrestre, tendo as mãos unidas em oração e os olhos voltados para o céu, esmagando com seus pés uma cobra, símbolo do pecado original (a cobra é símbolo do pecado original porque foi ela quem tentou Eva no paraíso terrestre para desobedecer a ordem de Deus). Os frades franciscanos foram os propagadores desta devoção que se espalhou de norte a sul, pois existem cerca de 533 paróquias a ela dedicadas. Em todas as localidades por onde passaram os filhos de S. Francisco foram construídos templos sob o orago de Nossa Senhora da Conceição, sendo Ela a padroeira de vários Estados brasileiros.
Na Bahia este culto teve início em 1549, quando Tomé de Sousa chegou a Salvador trazendo uma escultura da Santa. A ermida construída na praia, foi depois substituída por uma edificação mais sólida em 1765, toda em pedra de lioz, que dizem ter vindo de Portugal e apenas montada no Brasil. A Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia é uma das mais populares da capital baiana e sua festa é muito concorrida, celebrando-se no dia 8 de dezembro a missa cantada, precedida de novenário e festejos na praça, com barracas e pratos típicos, alegrada por exibições de capoeira e samba de roda.
No Estado do Rio temos a lendária Nossa Senhora da Conceição de Angra dos Reis.
A Virgem da Conceição é um dos oragos mais comuns em Minas Gerais, figurando não somente em pequenas capelas, como nas mais ricas igrejas setecentistas, quando a descoberta do ouro permitiu o desenvolvimento da arte religiosa na província.
Não existe uma só capela filial ou ermida e matrizes de outras invocações onde não exista altar ou imagem da Virgem da Conceição no Estado das Alterosas.
Após ter sido protetora de nosso País no período colonial, a Senhora da Conceição foi proclamada por D. Pedro I, ilustre descendente da dinastia de Bragança, Padroeira do Império Brasileiro. Com o advento da República e já no despontar do século XX, Ela cedeu o seu lugar a Nossa Senhora Aparecida, atual Rainha e Padroeira do Brasil, que é uma antiga imagem da Imaculada Conceição encontrada nas águas do Rio Paraíba do Sul.

Características:
Nossa Senhora, sobre o globo terrestre, esmaga com os pés uma cobra, símbolo do pecado original. Ela está de mãos juntas em atitude de oração e tem os cabelos longos caídos sobre os ombros. Usa uma túnica branca e um manto azul, e muitas vezes se apresenta com uma coroa real. Sob seus pés aparece geralmente um crescente de lua sendo que às vezes a Senhora pisa sobre ele e a cobra envolve a terra. Em algumas imagens, sob os pés da Virgem surgem cabeças de anjos.

A lua que aparece quase sempre sob os pés da Senhora da Conceição simboliza a substância passiva, que guarda em seu seio os raios do Sol. Por esse motivo é também o símbolo da Maria, que guardou em seu seio Jesus, o Deus Encarnado, a Luz Divina.
(retirado de: http://artesanatocosta.com.br/nsra_imacconceicao.htm)

CULPA DE QUE?




Culpa de que?
Sentimento pequeno
Que mina nossa auto-estima
Ninguém pode julgar e condenar
Alguém que errou por amor

Não há culpados
Em uma história a dois
Os erros existem
Podem ser reparados
Com atitudes positivas

Os acertos
Os bons momentos
Esses sim devem ser guardados
No cadinho da memória

E no futuro
Quando olharmos para trás
Restará a experiência adquirida
Os laços afetivos solidificados
Mas culpa... Jamais
O perdão é um ato sagrado
Se você me machucou
Já perdoei de coração!!!


Elsy Myrian Pantoja
Imagem Google

sábado, 5 de dezembro de 2009

Vem...Te quero agora



Tenho urgência
Em me sentir tua
Nos teus braços
Nua

Vem
Aqui terás o meu carinho
Faremos amor sem limites
Sob a luz do luar

E quando amanhecer o dia
Exaurida
Pedirei mais
E juntos ficaremos
Amando
Intensos...Nosso prazer real

Elsy Myrian Pantoja
Imagem Google


Uma linda borboleta


Quando sai de sua vida


Sentir-me como a lagarta que abandona o casulo

E se transforma em uma linda borboleta!!!







Elsy Myrian Pantoja
Imagem Google

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

04 de dezembro Salve Ela!!!! Iansã

Iansã é um Orixá feminino muito famoso no Brasil, sendo figura das mais populares entre os mitos da Umbanda e do Candomblé em nossa terra e também na África, onde é predominantemente cultuada sob o nome de Oiá. É um dos Orixás do Candomblé que mais penetrou no sincretismo da Umbanda, talvez por ser o único que se relaciona, na liturgia mais tradicional africana, com os espíritos dos mortos (Eguns), que têm participação ativa na Umbanda, enquanto são afastados e pouco cultuados no Candomblé. Em termos de sincretismo, costuma ser associada à figura católica de Santa Bárbara. Iansã costuma ser saudada após os trovões, não pelo raio em si (propriedade de Xangô ao qual ela costuma ter acesso), mas principalmente porque Iansã é uma das mais apaixonadas amantes de Xangô, e o senhor da justiça não atingiria quem se lembrasse do nome da amada. Ao mesmo tempo, ela é a senhora do vento e, conseqüentemente, da tempestade.
Nas cerimônias da Umbanda e do Candomblé, Iansã, ela surge quando incorporada a seus filhos, como autêntica guerreira, brandindo sua espada, e ao mesmo tempo feliz. Ela sabe amar, e gosta de mostrar seu amor e sua alegria contagiantes da mesma forma desmedida com que exterioriza sua cólera.
Como a maior parte dos Orixás femininos cultuados inicialmente pelos iorubás, é a divindade de um rio conhecido internacionalmente como rio Níger, ou Oiá, pelos africanos, isso, porém, não deve ser confundido com um domínio sobre a água.
A figura de Iansã sempre guarda boa distância das outras personagens femininas centrais do panteão mitológico africano, se aproxima mais dos terrenos consagrados tradicionalmente ao homem, pois está presente tanto nos campos de batalha, onde se resolvem as grandes lutas, como nos caminhos cheios de risco e de aventura - enfim, está sempre longe do lar; Iansã não gosta dos afazeres domésticos.
É extremamente sensual, apaixona-se com freqüência e a multiplicidade de parceiros é uma constante na sua ação, raramente ao mesmo tempo, já que Iansã costuma ser íntegra em suas paixões; assim nada nela é medíocre, regular, discreto, suas zangas são terríveis, seus arrependimentos dramáticos, seus triunfos são decisivos em qualquer tema, e não quer saber de mais nada, não sendo dada a picuinhas, pequenas traições. É o Orixá do arrebatamento, da paixão.
Foi esposa de Ogum e, posteriormente, a mais importante esposa de Xangô. é irrequieta, autoritária, mas sensual, de temperamento muito forte, dominador e impetuoso. É dona dos movimentos (movimenta todos os Orixás), em algumas casas  é também dona do teto da casa, do Ilê.
Iansã é a Senhora dos Eguns (espíritos dos mortos), os quais controla com um rabo de cavalo chamado Eruexim - seu instrumento litúrgico durante as festas, uma chibata feita de rabo de um cavalo atado a um cabo de osso, madeira ou metal.
É ela que servirá de guia, ao lado de Obaluaiê, para aquele espírito que se desprendeu do corpo. É ela que indicará o caminho a ser percorrido por aquela alma. Comanda também a falange dos Boiadeiros.
Duas lendas se formaram, a primeira é que Iansã não cortou completamente relação com o ex-esposo e tornou-se sua amante; a segunda lenda garante que Iansã e Ogum, tornaram-se inimigos irreconciliáveis depois da separação.
Iansã é a primeira divindade feminina a surgir nas cerimônias de cultos afro-brasileiros.
Deusa da espada do fogo, dona da paixão, da provocação e do ciúme. Paixão violenta, que corrói, que cria sentimentos de loucura, que cria o desejo de possuir, o desejo sexual. É a volúpia, o clímax. Ela é o desejo incontido, o sentimento mais forte que a razão. A frase estou apaixonado, tem a presença e a regência de Iansã, que é o orixá que faz nossos corações baterem com mais força e cria em nossas mentes os sentimentos mais profundos, abusados, ousados e desesperados. É o ciúme doentio, a inveja suave, o fascínio enlouquecido. É a paixão propriamente dita. É a falta de medo das conseqüências de um ato impensado no campo amoroso. Iansã rege o amor forte, violento.


A BASE CORROMPIDA DE UM GOVERNO




Desde a Monarquia o processo de impeachment se fazia presente através da Lei n.15 de 1827, que dispunha sobre a responsabilidade de Ministro, Secretários e Conselheiros de Estado. O Imperador era isento do impeachment onde era aplicada a máxima saxônica de que “o Rei não erra nunca” ( The King can do not Wrong).


A nossa primeira Constituição Republicana datada de 1891 teve como modelo base o sistema norte-americano, onde o impeachment tem caráter criminal e com algumas alterações o Instituto foi mantido na atual Constituição. Sua natureza atual é apenas político, não criminal vide artigo 85 da Constituição Federal, em sua nomenclatura denominar-se Crime de Responsabilidade os atos Governamentais que ensejam o processo de impeachment.


Nos dias atuais o processo de impeachment tem quase nem uma valia, tendo em vista a base política que alavancaria e conduziria o processo está absolutamente corrompida.


Senão vejamos o caso do Governador Roberto Arruda: Pela Constituição Federal, o Vice Governador do Distrito Federal Paulo Octavio (DEM), assumiria o mandato no caso do impeachment do Governador, mas tem um porém, ele também está envolvido no caso de pagamento de propinas por ser o proprietário da construtora CONBRAL, acusada de repasse de dinheiro aos demais envolvidos, seu nome é mencionado em gravações feitas pela Policia Federal.


Diante do exposto acima e eventual impedimento do Vice Governador tomar posse, o Presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, Senhor Leonardo Prudente também do DEM, assumiria o mandato, no entanto ele também foi citado nas gravações como suspeito de participar do esquema.


Segundo a OAB, no caso de tais impedimentos, assumiria então o Presidente do Tribunal de Justiça do Distrito Federal em regime temporário até que fossem realizadas novas eleições para Governador.


Justifica-se então o título do meu artigo, a base de nosso Governo, ouso dizer sem nenhuma exceção está apodrecida, corrompida e enlameada, não temos no momento um perfil político exemplar especificamente em Brasília onde enxovalharam esse questionado sistema de governo. A República tem que ser revista em seus moldes, temos outros sistemas menos corruptíveis como, por exemplo, o Parlamentarismo.


Está na hora dos grandes Juristas do País questionar com afinco essa forma arcaica de governar onde a máxima “O Rei tem sempre razão” nunca esteve tão presente.

Elsy Myrian Pantoja













quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Quando a cólica menstrual se torna uma doença



Todo mês, cada menstruação é sinônimo de sofrimento e muita dor.
Uma cólica que deixa de cama e não melhora com medicação alguma.
Algumas vezes essa dor se prolonga para períodos entre menstruações ou mesmo durante o ato sexual, principalmente em penetrações profundas.
Sempre que menstrua, a mulher elimina o tecido que reveste internamente o útero - o endométrio. No entanto, uma parcela desse tecido é eliminada através das trompas, para dentro do abdome da mulher. "Essas células são eliminadas pelo sistema imunológico feminino, mas cerca de 20% das mulheres conseguem efetivar essa eliminação", explica o ginecologista Marco Aurélio Pinho de Oliveira, presidente da Comissão de Laparoscopia da Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo).

Estimulado mensalmente pela menstruação, esse tecido vai se alojando e funciona como um 'corpo estranho', em constante crescimento no corpo da mulher. A cada mês, ao crescer, ele provoca uma inflamação ao redor de si, o que resulta na sensação de dor no período menstrual.

Conhecida como endometriose, essa doença é normalmente confundida com cólicas menstruais e pode trazer danos irreversíveis à saúde da mulher se não tratada. "A doença pode lesar órgãos internos e, em alguns casos, levar à falência dos rins, por exemplo", comenta Marco Aurélio.

Ele salienta ainda que a mulher moderna, que engravida menos e mais tardiamente, menstrua mais vezes ao ano e acaba tendo mais chances de desenvolver a doença. "Pode-se dizer que a menstruação é uma incompetência feminina em engravidar naquele determinado ciclo menstrual. Com o advento das pílulas contraceptivas, a mulher vem menstruando cada vez menos. Mas é importante lembrar que o corpo da mulher não foi programado para menstruar com tanta freqüência e ela acaba pagando um preço alto por isso", explica Marco Aurélio.

Outro agravante da doença é o alto índice de infertilidade feminina. "Estima-se que entre 40 e 70% das mulheres inférteis o sejam em função de uma endometriose", comenta Marco Aurélio. "Alguns casos podem ser reversíveis, mas é importante que a doença seja diagnosticada o mais cedo possível", complementa o ginecologista Maurício Simões Abrão.

Segundo o médico, o tempo entre o início das queixas e diagnóstico é de aproximadamente sete anos. "A idade média de diagnóstico na mulher é de 32 anos, mas ela começa a sentir os sintomas cerca de sete anos antes. É senso comum que sentir dores fortes e mensais durante a menstruação é normal e isso acaba fazendo com que o diagnóstico seja tardio", informa Maurício.
 
Conheça alguns sintomas da endometriose
Com o agravamento da doença, os sintomas começam a ficar mais perceptíveis e agudos. Dores crônicas, infertilidade e problemas no intestino e na bexiga passam a ser uma constante na vida da mulher.

As dores originadas pela endometriose aparecem todos os meses, não passam com medicação e, em alguns casos, incapacitam a mulher, deixando-a de cama. Em casos mais avançados da doença, quando a inflamação do tecido na cavidade abdominal é grande, as dores podem aparecer durante o ato sexual ou mesmo no intervalo entre períodos menstruais.

Outros sintomas da doença são diarréia, sangramento intestinal e da urina e dor para evacuar e urinar. "O que chama a atenção para a doença é quando a cólica durante a menstruação se associa a esses sintomas citados, incluindo a dificuldade que a mulher apresenta para engravidar", comenta o ginecologista Maurício Simões Abrão.
 
Confira tratamentos para a endometriose
O tratamento da endometriose varia de acordo com o estágio em que a doença
se encontra. "Em casos de doenças não avançadas, pode-se tratar a
endometriose com contraceptivos das mais variadas vias ou até através do
DIU de progesterona.
Mas em casos mais avançados, deve-ser recorrer à cirurgia", explica
ginecologista Maurício Simões. O médico lembra ainda que a doença raramente
tem cura.
"A paciente fica bem, ganha em qualidade de vida com o tratamento, mas ela
precisa se ajudar também, pois há fatores que auxiliam no tratamento, como os exercícios físicos", explica.

Existem hoje três maneiras de se diagnosticar a endometriose.
A laparoscopia, um procedimento cirúrgico considerado o método mais eficaz de diagnóstico da doença, é feito através de pequenas incisões na parede do
abdome da mulher para que o médico consiga visualizar a região acometida pela doença. Outras formas de diagnóstico são os exames laboratoriais e de imagem.

Segundo Maurício, um bom diagnóstico da doença pode ser feito através de uma
consulta de qualidade. "Deve-se pensar a doença através de uma boa consulta,
com uma boa anamnese", garante o médico.

Fonte de pesquisa: Redação TERRA

 

A estrada

Essa música tem muito a ver com meu momento, minha realização como profissional, como mãe e membro participativo da comunidade onde vivo. Olho para trás e vejo meu erros e acertos mas é com orgulho que afirmo, jamais em momento algum usei de meios escusos pra ususfruir do que tenho hoje, tudo meu foi conquistado com a força do trabalho honrado, da verdade e da honestidade. Persistência, superação, acreditar em si mesmo, sempre foram as palavras de ordem em nossa familia. Hoje superando os pequenos sustos e algumas decepções posso dizer que venci e o que vier daqui pra frente será lucro.


quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Uma boa idéia para o Governador Roberto Arruda


Vou dar uma sugestão aos membros das quadrilhas do mensalão e afins. Com a finalidade de evitar constrangimentos ao serem flagrados em seus delitos, uma sacolinha embutida na indumentária, para guardarem os pacotinhos de dinheiro na hora da partilha. Que coisa feia, como já diz um termo bem antigo, pior que roubar é não poder carregar, na avidez do ato espúrio praticado, vale tudo, na cueca, nas meias no soutien talvez. O Arruda e sua laia podiam comprar essa idéia e quanto aos PANETONES, o povo não precisa desse tipo de doação, precisamos sim que os políticos adotem a ética e se invistam da moralidade que o poder publico requer no trato com o dinheiro oriundo de nossos impostos. E se Excelentíssimo Senhor Presidente acha que as imagens não querem dizer nada, valeu essa sua opinião como um insulto a todos nós que assistimos aos vídeos. Será que pensam que o povo pode ser manipulado? Graças aos céus estamos evoluindo e nos tornando mais críticos e analíticos e a liberdade de expressar repúdio é a nossa arma na luta pela restauração da dignidade em nosso país.

Elsy Myrian Pantoja
Imagem Google

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

08 filmes que enfocam a batalha contra a AIDS

/
O filme Kids, que envolve temas como drogas, sexo e AIDS, conta a história de adolesce
ntes que vivem em meio a todos esses perigos da vida moderna. O filme foi lançado em 1995 e gerou bastante polêmica.

/
Em Philadelfia, um advogado contaminado pelo vírus da AIDS, interpretado por Tom Hanks, é demitido da empresa em que trabalha. Ele conta com a ajuda de outro advogado, vivido por Danzel Washington, para lutar contra a empresa e o preconceito. Lançado em 1993, o filme levou os Oscar de Melhor Música e Melhor Ator (para Hanks).

/
O drama Angels in America, com Al Pacino no elenco, se passa em 1985, época em que Ronald Reagan era presidente dos EUA, mesmo momento em que a AIDS começa a se propagar pelo país. Esta minissérie feita para a TV também ganhou diversos prêmios por sua abordagem ao tema.

/
Adaptação do livro Estação Carandiru, de Dráuzio Varella, o filme Carandiru fala sobre muitos dos problemas de saúde dos quais sofrem milhares de presidiários. A AIDS está entre os mais graves.

/
Cazuza conta a história de um dos compositores mais polêmicos da MPB. Embora não trate diretamente sobre a AIDS, mostra a vida do cantor sendo afetada pela doença.

/
O filme Gia narra a história de Gia Marie Carangi, uma modelo cuja vida conturbada terminou aos 26 anos, por conta das complicações causadas pelo virus HIV. Como protagonista está a atriz Angelina Jolie.

/
O filme I Love You Philip Morris tem como protagonista Jim Carrey e conta a história de Russel, um policial casado que toca órgão na igreja e é gay. Ele relembra sua vida quando está no leito de morte. O longa tem a presença do brasileiro Rodrigo Santoro.

/
Yesterday é uma mulher que vive na África do Sul e que sofre para conseguir ir ao médico. Quando ela consegue, descobre que tem o vírus da AIDS.

Coletânea de poemas de vários autores - Trabalho Primoroso da Poetisa Luna de Primo