Seguidores

domingo, 2 de setembro de 2012

Alma em transformação é o símbolo da Borboleta


Originalmente, o termo grego psyche possuía dois significados. Um deles era a Alma e outro a Borboleta e ambos simbolizavam o espírito imortal humano em que na mitologia grega era personificado por uma mulher que possuía as asas dessa bela criatura. Segundo as crenças gregas populares, quando um indivíduo morria, seu espírito deixava o corpo na forma desse inseto, já os índios americanos têm nas Borboletas um símbolo de alegria porque se alimentam do néctar das flores, ajudam na polinização e, por consequência, disseminam ainda mais beleza.  Animal pequeno e delicado, podem ter o peso mínimo de 0,3 gramas e as mais pesadas podem chegar a pesar 3 gramas; alguns tipos podem chegar a medir até 32 centímetros de asa a asa.



Seus olhos possuem milhares de lentes individuais e isto lhes confere o dom de ver uma única imagem com nitidez. Elas percebem comprimentos de onda de luz ultravioleta, o que simbolicamente sugere habilidades clarividentes para aqueles cuja Borboleta é o seu Animal de Poder.  As antenas, uma de cada lado, funcionam como uma espécie de navegador que as orienta e, no caso de uma delas lhes faltar, a Borboleta irá voar em círculos e será incapaz de encontrar o seu caminho. Para aqueles que possuem esta energia primal como aliada, isso sugere que a pessoa precisa permanecer conscientemente conectada ao espírito em todos os momentos para que possa cumprir seus reais objetivos.
Símbolo da mudança e transformações que trazem liberdade, alegria e cor, seu poder está sob a forma de transformação, da mudança e da evolução da alma. Elas representam o elemento Ar, mudam rapidamente e estão sempre em movimento graciosamente, pois este é o primal mensageiro do agora, do momento que surge numa ampla gama de cores. Para aqueles que o têm como Guia Espiritual é imprescindível estudarem a simbologia das cores, pois isso os auxiliará a descobrirem quais são as mensagens trazidas aos seus eleitos. A Borboleta nos alerta que não devemos levar as coisas demasiadamente a sério, precisamos ter leveza para nos movermos. Ela nos ensina que o crescimento e a transformação não precisa ser uma experiência traumática tampouco dolorosa, ao contrário, qualquer transição pode ser alegre. Borboletas possuem a capacidade de crescer e mudar, deixar a zona de conforto do seu casulo para descobrir um mundo novo em uma nova forma, sem medos, confiar nas suas asas e mentes não testadas e voar sem nenhuma sombra de dúvida.
A Lepidoptera passa por etapas importantes para se tornar uma bela criatura e,  semelhante a ela, nós também estamos em movimento e passamos por diferentes estágios, cada um igualmente vital e necessário. Isso indica que não é bom apressar um estágio em particular, nem é bom ficar preso numa fase, tornando-a estagnada.  Borboleta é um símbolo poderoso para aqueles que estão ou consideram fazer uma grande mudança em suas vidas. É também um dos símbolos mais inspiradores do mundo animal, pois sua energia sabe precisamente o tempo para deixar o conforto e a limitação de seu casulo e voar livremente para o mundo. Para nós, seres humanos, o casulo dos nossos pensamentos e medos pode ser tão limitantes quanto seguros e familiares.  Por isso ficamos com medo do que possa estar fora de nossos pensamentos, do nosso controle e dos sistemas de crenças limitantes, prendendo-nos e nos aprisionando a nós mesmos, o que faz com que sabotemos nossos sonhos e desejos, nos separando de nosso potencial ilimitado.


Devemos aprender a lição da Borboleta, que é a de seguir em frente e aprender como descobrir, crescer e melhorar a situação ou estágio em que nos encontramos. Seja a fase de ovo, o início – onde uma ideia nasce e não é a realidade ainda ou o estágio de larva, quando fisicamente obtemos a ideia que vai envolver preparação, tais como planejamento. Ou pode ser o estágio do casulo que implica no desenvolvimento e amadurecimento das ideias, projetos ou do nosso talento. Por fim, o último estágio, o da transformação, onde a crisálida morre para que possa nascer a Borboleta.  Esta última fase partilha as cores e o êxtase da criação com o resto do mundo, e esta é a filosofia que permeia e envolve todo o trabalho executado aqui no Mythos, pois devemos nos lembrar de que estamos sempre evoluindo e crescendo em um destes quatro estágios. Descobrirmos qual deles nos encontramos, se precisamos de mais tempo ou não para completar um estágio antes de estarmos prontos para o próximo é o que esse primal nos alerta: o de tomarmos cuidado para não nos apressarmos, tampouco ficarmos presos em qualquer um dos estágios também.


Devemos lembrar, nem toda mudança deliberada pode ser sentida porque ela pode ser muito sutil, como perder um emprego e, logo em seguida, as circunstâncias nos empurrarem para uma nova direção. Pequenas mudanças podem acontecer dentro do subconsciente do indivíduo sem que ele perceba, até que esteja pronto para uma mudança maior que sequer ele próprio identificará. Se uma pessoa se sente insegura e incerta do que está acontecendo em sua vida agora, então basta olhar para trás sobre o que vem acontecendo em sua vida recentemente, ou mesmo há muito tempo.  Alguma vez você já desejou ter um trabalho diferente? De mudar de carreira? Você é capaz de verificar, em algum nível, se os seus desejos estão se tornando realidade? Tenho certeza que você vai se lembrar do bom e velho ditado “tenha cuidado com o que você quer e deseja..” o que você pensar, isso irá se manifestar.
Esse primal nos auxilia a percebermos que a saída do casulo, de repente, pode nos abrir uma nova porta e que, não pode haver poder sem confiança e vulnerabilidade.  Não mais do que faz uma Borboleta saber se ela pode ou não voar, simplesmente ela abre suas asas em perfeita confiança, e descobre que sua delicadeza lhe permite voar e dançar no ar. Quando entendermos, definitivamente, que a transformação pode ser tão natural quanto respirar, quando nós levarmos o ânimo leve, quando nós confiarmos em nossas próprias asas inexperientes para nos apoiar, nós aprenderemos a ler as mensagens da Borboleta: a própria vida é uma dança alegre. Dançar nos traz a doçura da vida.
Os quatro estágios de crescimento das Borboletas estão em paralelo aos do desenvolvimento humano de nossa primeira formação, de um pensamento para manifestá-la no mundo exterior. Entender que a mudança pode ser tão natural quanto respirar. Não devemos ser tão duros com nós mesmos e sim confiar que as nossas próprias asas inexperientes irão suportar o nosso próprio peso, isto quando recebemos o dom desse totem:  saber que a própria vida é extraordinária e surpreendente. Se você encontrou Borboleta em uma de nossas jornadas, tome nota das questões mais importantes da sua vida e verifique o que precisa ser mudado. Se um sistema ecológico torna-se danificado, as Borboletas geralmente são as primeiras a deixá-lo, pois são altamente sensíveis à harmonia da Terra. Se alguém vê uma Borboleta e está doente, ferido ou preso em alguma situação negativa, isto é uma indicação de que se deve parar de perturbar o desenho e equilíbrio natural da vida e fluir com os acontecimentos de uma forma mais suave e natural.

Valter Barros Moura



domingo, 19 de agosto de 2012

Casa no Sana



Casa No Sana


Elis Regina

adaptei a letra 

Eu quero uma casa no sana 
Onde eu possa compor muitos reggaes legais
E tenha somente a certeza
Dos amigos do peito e nada mais
Eu quero uma casa no sana
Onde eu possa ficar no tamanho da paz
E tenha somente a certeza
Dos limites do corpo e nada mais
Eu quero carneiros e cabras pastando solenes
No meu jardim
Eu quero o silêncio das línguas cansadas
Eu quero a esperança de óculos
Meu filho de cuca legal
Eu quero plantar e colher com a mão
A pimenta e o sal
Eu quero uma casa no sana
Do tamanho ideal, pau-a-pique e sapé
Onde eu possa plantar meus amigos
Meus discos e livros
E nada mais

sábado, 18 de agosto de 2012

Eu





Uma mulher centrada que conhece seus limites e a hora de parar. Meu prazer incontestável é fazer rir a todos que convivem comigo, sem vulgaridades afinal o Brasil é o país da piada pronta basta está atento, jamais insulto alguém mesmo que 
essa pessoa me magoe profundamente, as vezes passo uma imagem de tresloucada, mas quem me conhece sabe que no meu coração tenho amor de sobra para os amigos e complacência para os desafetos, quem entra no meu coração é tratado como um rei ou rainha. Tenho respeito profundo por todos os dogmas, crenças e opções de vida, porque não cabe a mim julgar. Amo ajudar seja de que forma e em todos os sentidos...Trabalho para sobreviver e não por status, independente porém humilde quando preciso de colo, ajuda e conselhos. Meu maior orgulho além dos filhos que criei com muito sacrificio e renuncias, foi me consolidar como Escritora e Poeta e ajudar a outros a seguir o mesmo caminho. No meu coração não cabe ódio ou ressentimentos, acredito que a justiça divina cuida de tudo conforme nosso merecimento, acreditem a quem necessitar de algo estarei aqui sempre e quando digo que amo meus amigos, esse sentimento vem da alma. Quero ver todos felizes e realizados e com seus sonhos concretizados. Glória ao Pai !!!!!!!


Elsy Myrian Pantoja

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Creed - With Arms Wide Open






Com Os Braços Bem Abertos

É, acabei de ouvir as notícias de hoje
Parece que minha vida vai mudar
Fechei meus olhos, comecei a orar
E lágrimas de felicidade desceram rosto abaixo

Com os braços bem abertos
Sob o sol
Bem-vindo à esse lugar
Vou te mostrar tudo
Com os braços bem abertos
Com os braços bem abertos

Bom, eu não sei se estou preparado
Pra ser o homem que tenho de ser
Vou respirar fundo, trazê-la pro meu lado
Paralisados pelo deslumbramento, acabamos de criar vida

De braços bem abertos
Sob o sol
Bem-vindo à esse lugar
Vou te mostrar tudo
De braços bem abertos
Agora tudo mudou
Vou te mostrar o amor
Vou te mostrar tudo
Com os braços bem abertos
Com os braços bem abertos

Vou te mostrar tudo
Oh Yeah
Com os braços bem abertos
Bem abertos

Se eu tivesse apenas um desejo
Um pedidozinho só
Eu torceria pra ele não ser igual a mim
Espero que ele seja compreensivo
Que ele abrace essa vida
Segure-a pela mão
E a apresente ao mundo
Com os braços bem abertos

De braços bem abertos
Sob o sol
Bem-vindo à esse lugar
Vou te mostrar tudo
De braços bem abertos
Agora tudo mudou
Vou te mostrar o amor
Vou te mostrar tudo
Com os braços bem abertos

Com os braços bem abertos
Vou te mostrar tudo
Com os braços bem abertos
Bem abertos

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Dia Internacional do Rock and Roll




"Não dura até Junho!"
Revista Variety de 1955 sobre o Rock and Roll



          ‎No dia 13 de julho de 1985, o rock mudou a história da humanidade: legado Live Aid é impossível de ser medido. Virou sinônimo de festival de rock, de solidariedade e mobilização. E daí surgiu o Dia do Rock. vejam na integra:

          Em 13 de julho de 1985 Bob Geldof, vocalista da banda Boomtown Rats, organizou o show de rock mundialmente conhecido, o Live Aid, que teve a participação de artistas lendários do pop music e do rock mundial reunidos por uma causa comum: arrecadar fundos para combater a fome e a pobreza no continente africano, especialmente motivado pelo drama vivido pela Etiópia.

Foram realizados dois shows, um no já lendário Wembley Stadium de Londres, na Inglaterra (veja foto ao lado) e o outro no JFK Stadium na Filadélfia, nos EUA.

O evento Live Aid conseguiu em 16 horas de show acumular cerca de US$ 100 milhões, totalmente destinados ao povo da África. 

Falando um pouco da História




          Surgido em meados dos anos 50 nos EUA, o Rock n Roll tem suas raízes na música negra americana, em especial no Blues. O ritmo quebrava totalmente qualquer conceito musical até então existente. Rotulado pelos mais conservadores de “música do diabo”, o rock precisou que um jovem branco, de voz potente e cheio de suingue o tirasse dos guetos. Elvis Presley, considerado por muitos como o Rei do Rock, tornou esse estilo irresistível para gerações inteiras.
Afinal o que significa Rock and Roll?
Rock = (sacudir, perturbar ou incitar)

Roll = (metáfora medieval que significava ter relações sexuais.)

Rocking = (Foi utilizado por cantores gospel como êxtase espiritual.)
          O DJ Alan Freed começou a tocar R&B para uma audiência multi-racial, e é creditado como o primeiro a utilizar a expressão 'rock and roll' para descrever a música. Assim a palavra rock teve uma longa história no idioma inglês como uma metáfora para to shake up, to disturb or to incite (sacudir, perturbar ou incitar). Em 1937, Chick Webb e Ella Fitzgerald gravaram "Rock It for Me", que incluía na letra o verso So won't you satisfy my soul with the rock and roll. (Então, você não vai satisfazer a minha alma com o rock and roll.). Pela década de 1940, no entanto, o termo foi usado como um duplo sentido, referindo-se pretensamente a dançar e ao ato sexual, como em "Good Rocking Tonight"(1947), de Roy Brown - antes de ser adotada como nome do novo estilo musical, que surgiu nos anos 50, com Bill Halley e Elvis Presley, e consistia basicamente na fusão desses ritmos negros com a música country. Esse batismo costuma ser atribuído ao disc-jóquei americano Alan Freed (1922-1965), cujo programa de rádio foi um dos principais responsáveis pela popularização da nova onda, altamente dançante, que logo contagiou toda a juventude do país e do mundo.

          Nos anos 60, foi à vez de um grupo inglês estourar no mundo inteiro. Os Beatles, um quarteto de rapazes de Liverpool, enlouqueceram plateias nos cinco continentes. Nesta década também o rock passou a ter uma atitude mais politizada e contestadora. Surge à contracultura, e seu auge é o Festival de Woodstock, nos EUA. Nessa época destacam-se também os Rolling Stones (que continuam na ativa até hoje), The Doors, Jimi Hendrix entre outros.



          Nos anos 70, o rock já atinge um público cada vez maior. Passa a ser mais popular, é a cultura de massas atuando sobre a música. Surgem vertentes como o progressivo e o punk rock.  Surgem bandas legendárias, que lotam estádios em seus shows, como Black Sabbath, Led Zeppelin, Pink Floyd, Yes, Genesis, Kiss.



          Os anos 80 são marcados por uma diversificação gradativa do rock. Embora muitas bandas desta época cultivarem um forte apelo contestador, muitos críticos lamentam a descontinuidade do puro rock n roll. É a vez do Pop Rock e da New Wave fazerem sucesso ao ritmo do The Cure, New Order, Bon Jovi, Talking Heads, The Clash, e The Police. No Brasil surgem bandas que fazem sucesso até hoje, como os Paralamas do Sucesso, Capital Inicial e Ira!.



         Seattle, anos 90. Esta cidade americana é berço de um rock mais cru, desleixado e visceral, batizado de Grunge. Uma banda em especial faz o mundo reviver a magia e o veneno da “música do diabo”: Nirvana. Mas foi por pouco tempo. Kurt suicidou-se aos 27 anos, mesma idade em que morreram Jimi Hendrix e Jim Morrison. Outras bandas marcantes foram o Pearl Jam e o Guns n Roses.



          Atualmente o rock convive com muitos estilos e influências. Houve fusão com praticamente todos os ritmos existentes, até mesmo com o samba, ao suingue de Jorge Bem. E muitos outros instrumentos musicais se juntaram às guitarras, baixos e baterias. Elementos eletrônicos também são muito utilizadas, e várias releituras são feitas, mas as características que identificam o rock são eternas. Temos como exemplo bandas nos anos 2000 que se destacaram do metal ao emo, como Coldplay, Franz Ferdinand, LCD Soundsystem, Panic! At the Disco, Queens of the Stone Age, Wilco, The Strokes, System of a Down, The White Stripes.



         Obviamente faltaram muitos generos musicais e fases da historia do rock como o Psicodelia e o pós-punk que não foi mencionado aqui, entre outros. Lembrando que é apenas uma homenagem, na qual eu (como todos os amantes e fãs do Rock) decidir fazer esse poste. Citações acima foram retiradas de paginas de internet como o Wikipedia e outros sites, e que esse texto sirva para indagar mais e mais você sobre "O dia Internacional do Rock and Roll" e a "Historia do Rock an Roll"



Sugestões
FILME 

ROCK STAR


Sinopse:

           Em meio aos anos 80, Chris Coles (Mark Wahlberg) trabalha como vendedor em uma loja ao mesmo tempo em que é vocalista de uma banda cover de seu grupo de heavy metal predileto, o Steel Dragons. Até que sua vida muda por completo quando o vocalista da banda deixa o grupo e os demais integrantes o convidam para substituí-lo.

Sites:


Humor
ORACAO DO ROCK

Rock nosso que estais na veia
Muito escutado seja vosso solo
Venha a nós o riff inteiro 
Seja feito barulho a vontade 
Assim em casa como nos shows 
Musica boa de cada dia nos daí hoje 
Perdoai nossas loucuras 
Assim como perdoamos os pagodeiros e sertanejos
Com aquelas músicas horrívei
Não nos deixeis cair em funk carioca 
E livrai-nos do axé 

AMÉM
Fernanda Cristine Cunha

Frases:

“Hey Ho, Let's Go” Ramones

''Eu não sou rei. Cristo é o Rei. Eu sou apenas um cantor'' Elvis Presley

'' Antes de Elvis, não havia nada'' John Lennon
''A arte de ser louco é jamais cometer a loucura de ser um sujeito normal'' Raul Seixas
“Se começarmos a meter intelectualismo no rock, ele vai se tornar uma ***** intelectualizada. Se quisermos um verdadeiro Rock and Roll, ele continuará a ser uma música simples.”  John Lennon 

"A mente é como um pára-quedas. Só funciona se abrí-lo."
Frank Zappa
"O Rock N' Roll é a marcha marcial de todos os delinquentes juvenis sobre a face da terra."
Frank Sinatra

"Um veículo anti-religião."
Papa Bento XVI
"Eu já vi Deus quando tomei ácido e posso garantir: o cara é bem mais forte que eu."
Lemmy Kilmister, Motörhead

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Epitáfio




O texto abaixo é de um senhor de 85 anos. O autor é desconhecido. Alguns dizem que a autoria é do escritor argentino Jorge Luís Borges, e outros, dizem que foi escrito pela americana Nadine Star. Enfim, independente da autoria, ele nos faz refletir sobre o que realmente vale a pena na vida...


"Se eu pudesse novamente viver a minha vida, 
na próxima trataria de cometer mais erros. 
Não tentaria ser tão perfeito, 
relaxaria mais, seria mais tolo do que tenho sido. 
Na verdade, bem poucas coisas levaria a sério. 
Seria menos higiênico. Correria mais riscos, 
viajaria mais, contemplaria mais entardeceres, 
subiria mais montanhas, nadaria mais rios. 
Iria a mais lugares onde nunca fui, 
tomaria mais sorvetes e menos lentilha, 
teria mais problemas reais e menos problemas imaginários. 
Eu fui uma dessas pessoas que viveu sensata 
e profundamente cada minuto de sua vida; 
claro que tive momentos de alegria. 
Mas se eu pudesse voltar a viver trataria somente 
de ter bons momentos. 
Porque se não sabem, disso é feita a vida, só de momentos; 
não percam o agora. 
Eu era um daqueles que nunca ia 
a parte alguma sem um termômetro, 
uma bolsa de água quente, um guarda-chuva e um pára-quedas e, 
se voltasse a viver, viajaria mais leve. 
Se eu pudesse voltar a viver, 
começaria a andar descalço no começo da primavera 
e continuaria assim até o fim do outono. 
Daria mais voltas na minha rua, 
contemplaria mais amanheceres e brincaria com mais crianças, 
se tivesse outra vez uma vida pela frente. 
Mas, já viram, tenho 85 anos e estou morrendo"


sexta-feira, 29 de junho de 2012

São Bernardo de Claraval


 "Non nobis Domine, non nobis, sed nomini tuo da gloriam" (Sl. 113,9 - Vulgata Latina) que significa "Não a nós, Senhor, não a nós, mas ao teu nome a tua glória" (tradução Almeida).


São Bernardo de Claraval

sexta-feira, 15 de junho de 2012

VEM, CONVERSEMOS ATRAVÉS DA ALMA : O CONVITE POÉTICO DE RUMI




A poesia abaixo é uma das preciosidades do poeta e mestre sufi persa Jalāl ad-Dīn Muḥammad Rūmī (1207-1273), ou somente Rumi, considerado o poeta mais traduzido para o idioma inglês e o maior poeta persa da história. O livro “Poemas Místicos” é uma coletânea de 79 poemas extraídos de uma coleção de mais de 5 mil, criados a partir de um encontro iluminado de Rumi com seu mestre Shams ud-Din de Tabriz – o mesmo mestre que transformou a vida de Rumi no primeiro encontro, indicado como tendo acontecido em 15 de novembro de 1244 (Wikipedia), e que teria tirado Rumi da vida de professor e jurista e o colocado na vida asceta.
Embora a tarefa de descrever a presença da alma ou a comunicação que acontece além dos sentidos seja difícil, Rumi faz um belo esforço nesse poema, e fala ao coração pedindo um tempo à visão e à fala, e confiança na sabedoria que acontece além. O livro “Poemas Místicos” está na Coleção de Trabalhos Representativos da UNESCO, na seção da Herança Persa.

Rumi nasceu onde hoje é território do Afeganistão, no início do século XIII. Seu pai era doutor da lei muçulmana e também místico e pregador, tendo Rumi crescido em um ambiente espiritualizado onde conviviam diversas culturas. 

Aos 37 anos, Rumi já possuía grande reputação como mestre e profundo conhecedor de filosofia, teologia, poesia clássica e jurisprudência. Nesta época ele conhece o dervixe errante Shams (Sol) de Tabriz, este já idoso, uma personificação do amor. Fundidos em êxtase Rumi e Shams passam meses em profunda comunhão mística. É para seu mestre e companheiro que Rumi irá dedicar uma monumental obra poética conhecida como Diwan de Shams de Tabriz. 

Após a morte de Shams, Rumi já um dervixe, cantor extático, ébrio de Deus, irá encontrar a companhia de mais dois homens, que irão acompanhá-lo por dez anos cada um.
Sua obra totaliza mais de 50.000 versos, clássicos da poesia e da mística. O Amor é a grande tônica de sua portentosa obra, e muitas vezes não se pode mais distinguir onde acaba o amor humano e começa o divino, ou vice-versa; humano e divino se fundem numa grande e comovente canção de Amor.

GHAZAL 1540 (“Fountain of Fire”)
Por Rumi
Vem.
Conversemos através da alma.
Revelemos o que é secreto aos olhos e ouvidos.
Sem exibir os dentes,
sorri comigo, como um botão de rosa.
Entendamo-nos pelos pensamentos,
sem língua, sem lábios.
Sem abrir a boca,
contemo-nos todos os segredos do mundo,
como faria o intelecto divino.
Fujamos dos incrédulos
que só são capazes de entender
se escutam palavras e vêem rostos.
Ninguém fala para si mesmo em voz alta.
Já que todos somos um,
falemos desse outro modo.
Como podes dizer à tua mão: “toca”,
se todas as mãos são uma?
Vem, conversemos assim.
Os pés e as mãos conhecem o desejo da alma.
Fechemos pois a boca e conversemos através da alma.
Só a alma conhece o destino de tudo, passo a passo.
Vem, se te interessas, posso mostrar-te.
~ Rumi

Fonte:Nando Pereira-http://dharmalog.com/

sexta-feira, 8 de junho de 2012

FLORES Georgia O'Keeffe'S



Georgia O´keeffe






Georgia O´keeffe (1887-1986) foi uma das primeiras mulheres a alcançar um sucesso indiscutível no seio da pintura norte-americana. Afastando-se das influências da pintura europeia dos inícios do século XX e, nomeadamente, do surrealismo, encontramos as principais bases de influência da sua obra na fotografia, tendo como principal mentor o fotógrafo Alfred Stieglitz (1864-1946) que inicialmente começou por se interessar pelos quadros de O’keeffe (numa fase ainda embrionária da sua obra) expondo-os na sua galeria “291” em Nova Iorque, e que, mais tarde, viria a ter um longo relacionamento amoroso com a artista, o que levaria a que houvesse uma influência recíproca na obra de ambos.





Num misto de arte abstracta, irreal e onírica, e arte figurativa, representativa, em certa medida, conservadora, a obra de O´keeffe prima pelo cunho muito pessoal e emotivo que a artista imprime aos seus quadros, deixando transparecer o significado que atribui aos objectos que vê, à realidade que  sente. Daí o seu interesse pela natureza, a paixão pelo Novo México e a sua paisagem selvagem, inóspita até, em contraposição à sociedade moderna, civilizada, tipicamente nova-iorquina, cidade vertical repleta de arranha-céus também retratados por O’keeffe, em que parece haver uma redoma que não deixa sequer entrever o céu.




Em “Prato cor-de-rosa e folhas verdes”, O’keeffe reflecte bem essa dicotomia entre o mundo civilizado e o mundo natural. A vista da janela abrange Brooklyn e o East River, que transparecem de uma forma quase diluída, esvaída, em que as formas não são muito distintas, envoltas em fumo, em névoa; em primeiro plano, temos já a definição, a vivacidade transmitida pela cor, de um prato cor-de-rosa com folhas verdes, um último pedaço de natureza em pleno meio urbano, industrial. A janela parece mesmo fazer uma divisão forçada entre o mundo interior, do lado de cá, e o mundo exterior, do lado de lá. Este último lembra um sonho em que tudo se avista difusamente; e o primeiro, uma realidade construída, artificial, que parece já não existir, já não fazer parte do quotidiano.







De fato, é como se tivesse sido tirada uma fotografia, apenas denunciada pela emotividade e significação presentes nas singelas folhas que parecem desmaiadas pela evidência do contraste esmagador, ultrapassando, assim a própria fotografia.

 Susana Blanda Bate





Hypatia a Filósofa




A vida de Hypatia foi enriquecida com uma paixão para o conhecimento. Hypatia era a filha de Theon, que foi considerado um dos homens mais cultos de Alexandria, Egipto. Theon colocou Hypatia em um mundo de instrução. A maioria de historiadores reconhecem agora Hypatia não somente como uma matemática e uma cientista, mas também como uma filósofa.

Os historiadores são incertos em diferentes aspectos da vida de Hypatia. Por exemplo, a data de seu nascimento é debatida atualmente. Alguns historiadores acreditam que Hypatia nasceu no ano 370. Outros afirmam que era uma mulher mais velha (ao redor 60 anos) na época de sua morte, assim tendo seu nascimento no ano 355.

Durante todo sua infância, Theon levou Hypatia em um ambiente de idéias. Os historiadores acreditam que Theon tentou levantar o ser humano perfeito. Theon ele mesmo era um intelectual bem conhecido e professor de Matemática na Universidade de Alexandria. Theon e Hypatia tiveram uma ligação muito forte enquanto ensinou a Hypatia seu próprio conhecimento e compartilhou de sua paixão na busca para respostas do desconhecido. Enquanto Hypatia crescia e ele ficava mais velho, começou a desenvolver um entusiasmo para a matemática e as ciências (astronomia e astrologia).

A maioria de historiadores acreditam que Hypatia superou o conhecimento do seu pai ainda nova. Entretanto, quando Hypatia estava ainda sob a disciplina do seu pai, desenvolveu também para ela uma rotina física para assegurar para ela um corpo saudável para uma mente altamente funcional. Em sua educação, Theon instruiu Hypatia em diferentes religiões do mundo e ensinou-lhe como influenciar pessoas com o poder das palavras. Ensinou-lhe os fundamentos do ensino, de modo que Hypatia se transformasse uma oradora eficaz .Pessoas de outras cidades vieram estudar e aprender com ela.

Os estudos de Hypatia incluíram a astronomia, a astrologia, e a matemática. Referências em escrito de Synesius, um de seus estudantes, credita a Hypatia a invenção do astrolábio, um dispositivo usado para estudar a astronomia. Entretanto, outras fontes datam este instrumento ao menos um século mais cedo. Claudius Ptolemy escreveu extensivamente sobre o uso do astrolábio plano, e o pai de Hypatia escreveu um treatise do astrolábio o que foi a base para muito do que foi escrito mais tarde na idade média. Hypatia ensinou sobre astrolábio porque Synesius fez um instrumento para que fosse usado como um formulário do astrolábio.

Hypatia ficou mais conhecida pelo trabalho que fez na matemática do que na astronomia, primeiramente em seu trabalho nas idéias das seções cônicas introduzidas por Apollonius. Editou o trabalho no Conics de Apollonius , que dividiu cones nas peças diferentes por um plano. Este conceito desenvolveu as idéias dos hipérboles, das parábolas, e das elipses. O trabalho de Hypatia neste livro importante, fez os conceitos ficarem mais fáceis de se compreender, assim fazendo o trabalho sobreviver muitos séculos. Hypatia foi a primeira mulher há ter um impacto tão profundo na sobrevivência do pensamento adiantado na matemática.

Hypatia viveu em Alexandria quando o cristianismo começou dominar as outras religiões. Nos anos próximos a 390, houve motins contra as religiões diferentes. Nessa época vivia Cyril, um líder entre os cristãos, e seu rival Orestes, o regulador civil, o qual era amigo de Hypatia. Acredita-se que Cyril espalhou boatos horríveis sobre ela para atingir seu rival. Hypatia foi atacada por uma multidão, apedrejada e morta .Mais tarde, o motim arrastou-a através das ruas.

A vida de Hypatia terminou tragicamente, porém seu trabalho de vida remanesceu. Mais tarde, Descartes, Newton, e Leibniz expandiram seu trabalho. Hypatia fez realizações extraordinárias para uma mulher em seu tempo. Os filósofos consideraram-na uma mulher de grande conhecimento e uma excelente professora.

Referências:
Deakin, Michael. "Hypatia e sua matemática," a revista mensal matemática americana , 101 , no. 3 (março 1994), 234-243. (disponível no Web site http://www.matharticles.com de Houghton Mifflin sob a seção 9,1 nos menus da gota para baixo.)
Hypatia de Alexandria, transcript de uma conversa por Michael Deakin, archived em http://www.abc.net.au/rn/science/ockham/or030897.htm
As fontes preliminares para a vida e o trabalho de Hypatia de Alexandria por Michael Deakin.
Knorr, Wilbur. "em Hypatia de Alexandria," em estudos textual em Geometria antiga e medieval , Birkhauser, 1989.
Dzielska, Maria. Hypatia de Alexandria. Cambridge: Imprensa Da Universidade De Harvard, 1995.
Osen, Lynn M. Mulheres na matemática. Estados Unidos: Imprensa de Instituto de Tecnología de Massachusetts, 1974.
Perl, Teri. Biografias de matemáticos das mulheres e de atividades relacionadas. Estados Unidos: Addison-Wesley, 1978.
Neugebauer, Otto A., "o history adiantado do Astrolabe", da "astronomia e do history: Essays Selecionados ", Springer-Verlag (1983).
Dicionário da biografia científica
Hypatia, history de MacTutor dos arquivos da matemática,

Coletânea de poemas de vários autores - Trabalho Primoroso da Poetisa Luna de Primo