Seguidores

terça-feira, 20 de julho de 2010

Borboletas Choram?

 
 
 
É, gente! Borboleta chora.
Chora e esperneia até ficar de olhos inchados. Nítida impressão de que as Cataratas do Niágara têm menos água do que seus olhos.
Borboleta cai. 
Borboleta se machuca. 
Borboleta quebra as asas.
Borboleta perde a vontade de voar.
Mas ela é a dona da metamorfose. Conhecedora do poder transformador do fogo. Ela tem visão ampla de águia. Ela tem liberdade de águia. Tem o potencial de vôo de águia. Mas busca por flores, e não por caça.
E em seu sublime dom da metamorfose transforma sua queda no mais belo ato de aprendizagem. Se caiu, é pra aprender a levantar. E depois que se aprende, nunca mais se esquece.
As coisas vividas, sentidas na alma, criam uma marca que nem o tempo apaga. Elas permanecem em nós, representando um capítulo de nosso aprendizado. É a nossa marca. Marca de que crescemos mais um pouquinho.
Essa borboleta aqui estava caída e sem rumo. Porém, o motivo de minha queda trasmutou-se no motivo de minha ascensão. 
Reconstruir asas pra quem domina o fogo é fácil!
EU SOU o Sagrado Fogo da Transmutação.

Um comentário:

  1. É um prazer ser citada por você!
    Que bom que gostou do meu blog. Eu vou fuxicar tudo por aqui... rsrs.
    Borboletas são especiais pra mim, pois é como sou chamada pelo meu maior amor!
    Beijossssssssssssss e parabéns por esse seu espaço!!!

    ResponderExcluir

Coletânea de poemas de vários autores - Trabalho Primoroso da Poetisa Luna de Primo