Seguidores

sexta-feira, 6 de maio de 2016

Saudade Arretada

Eta saudades arretada,
que no peito bate,
vem dando porrada,
licença não pede.



Não quer nem saber,
se acomoda,
até não mais espaço ter,
muito folgada.



Aperta o peito tanto,
que a dor acaba em pranto,
afogando a danada,
que é levada pela enxurrada.



O peito se acalma então,
desacelera o coração,
saudades deu lugar a lembrança,
sentindo de quem ama a presença.




Luconi
22-04-16

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Coletânea de poemas de vários autores - Trabalho Primoroso da Poetisa Luna de Primo