Seguidores

sábado, 16 de janeiro de 2010

Sou Guerreira, Vencedora sou Mulher


Estamos vivendo a alguns anos em uma sociedade altamente competitiva e seletiva, os capacitados no mercado de trabalho tem todas as chances de serem recrutados e os que por alguma razão não tiveram essa oportunidade estão correndo atrás do tempo perdido. Já não basta ter alguém que indique para um cargo importante ou não, de fato tem que mostrar competência e conhecimento do que faz. Felizmente para nós mulheres a competição se igualou ou superou os homens em algumas áreas, já não somos alijadas do mercado de trabalho apenas por ser mulher e isso independente da idade, muitas estão começando aos quarenta e por aí em diante. Sempre trabalhei no serviço publico, mas chegou um momento de minha vida profissional a exigência que eu fosse bem mais além, para galgar uma colocação e obter melhor remuneração e satisfação no que fazia.

Pois bem com quatro filhos ainda entrando na adolescência e um marido omisso, entrei de cabeça nos estudos, passei no vestibular e cursei a faculdade de direito, foi fácil? Não, foi uma guerra, contra o preconceito de que o lugar de uma mulher com quatro filhos é em casa cuidando deles, mas eu via mais além, isso com 30 anos de idade na época e sem nenhum incentivo, muitas vezes tive que levá-los comigo para o trabalho, pois não tinha com que deixá-los e por várias vezes meus colegas de faculdade serviram de babá para que eu fizesse as provas. Hoje posso dizer com muito orgulho que valeu a pena cada noite e cada dia de esforço pra conquistar o meu espaço e conseqüentemente o deles, pois através do fruto das minhas promoções pude dar a eles uma educação aprimorada e hoje todos já estão independentes e bem colocados no mercado de trabalho, minha filha caçula com 23 anos com três diplomas no currículo já é líder no seu setor. Com a vitória no campo profissional o casamento que já não era lá grande coisa pelos motivos expostos acima, vi que não precisava mais de um homem ao meu lado só pra dizer que tinha um marido. Ousada e destemida, mais uma vez encarei o desafio e pedi o divorcio e lá se vão quase seis anos que isso aconteceu e nunca me arrependi do ato, cresci como mulher, como profissional e como mãe, junto aos amigos e familiares virei referencia no quesito superação. Houve alguns relacionamentos depois do divorcio, algumas decepções amargas, mas nada que abalasse a minha férrea crença em Deus e em mim mesma. Hoje ao lado de alguém, estou vivendo dias de paz e felicidade, creio que bem merecido por toda minha historia de vida, ambos exercendo a mesma profissão e com uma história de vida de muita luta e temos um universo de afinidades.

Escrevo esse texto para que sirva de incentivo para aquelas mulheres que acham que não tem capacidade ou força para dar uma guinada em suas vidas. Todas nós podemos, basta acreditar que existe um potencial dentro de si e vencer os desafios que a vida vai apresentando e podem ter certeza ou louros da vitória vão chegando um a um.

Elsy Myrian Pantoja
Imagem Google

Um comentário:

  1. Vivo isso na pele,meu marido me proibi de tudo fiz podologia na marra, e comecei ano passo o curso de direito e infelizmente fui obrigada a parar

    ResponderExcluir

Coletânea de poemas de vários autores - Trabalho Primoroso da Poetisa Luna de Primo