Seguidores

sábado, 5 de setembro de 2009

Sons de aflição

Ecoam lamentou roucos
No calabouço do coração
Encharcando meus ais de agonia
A chuva cai impiedosa
Percebo o murmúrio que vem
De um espírito aflito
Que não se prende e nem se liberta
E no balanço dos ventos
A cantilena sonora dolorida
Suplica por uma calma mesmo que breve.



Elsy Myrian Pantoja
Imagem Pesquisa Google

Um comentário:

  1. o corpo padece as afliçoes da alma bjus de Luz muito bonito mesmo... Erick

    ResponderExcluir

Coletânea de poemas de vários autores - Trabalho Primoroso da Poetisa Luna de Primo