Seguidores

terça-feira, 16 de junho de 2009


Não foi no dia... foi assim feinho que de mansinho eu quis chegar.
No outro dia , já não era minha, já não era fria, ele me fez amar.
E foi assim, sem choro nem vela, foi com uma rosa amarela, que ele me deu o luar.
O meu mundo é dele, somente para ele minha pele vai suar.
Cada pedaço de escuro hoje é só muro que ele usa bem firme para me guardar.
E é nessa janela, com a mesma rosa amarela que eu digo para ele: hoje só sei te amar.
Guarde para mim moreno seu gosto sereno que um dia eu volto para te alegrar.
Seja sempre menino... seu jeitinho maroto, seu sorriso é porto para quem sabe chegar.
E assim sou hoje felicidade, meu nome é saudade do tamanho do mar.

Céu Elsyane

3 comentários:

  1. foi com emoção que vi minha filha escrevendo poemas , coisas que a mãe não tem a menor habilidade, visto que so escrevo textos e cronicas, to orgulhosa e de vc só espero o que há de melhor minha guerreira bjusssssssssssss

    ResponderExcluir
  2. Céu, adorei, me senti tão bem lendo esse texto. Saber que sou capaz de trazer inspiração para desabrochar essa maravilhosa escritora que á em vc. Um grande beijo. Te amo muito!!

    ResponderExcluir
  3. Deliciosamente sensivel as palavras que brotam do coraçao.adorei bj linda poetisa

    ResponderExcluir

Coletânea de poemas de vários autores - Trabalho Primoroso da Poetisa Luna de Primo