Seguidores

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Inquietude

Subitamente sinto frio, perdida entre pensamentos desencontrados que teimam em ir e vir, num torturar constante.
A alma recolhe-se timida sentindo falta da sua querendo encontrar a minha. Na amplitude do universo, busco respostas que nem os sábios podem explicar. Alma peregrina, a paz nunca foi a minha sina, companheiro dos meus temores o conflito envolve celere a minha quietude.
O vácuo incessante da loucura que transpassa toda lógica da razão clama no peito em agonia e dilacera o coração. Nas páginas amareladas do tempo leio grafado em sangue o que jamais deveria ter sido, destino insensato que me lançou nas vagas opressoras da tristeza infinda. Como recomeçar, se meus anseios longe estão, inatingiveis em outra dimensão, em vão apresso o passo da jornada para enfim alentar o espirito preso sem lume, buscando o balsamo conciliador onde enfim me dará o sono amigo e o descanso pra tanta melancolia.


Elsy Myrian Pantoja

Imagem disponibilizada na Internet

Um comentário:

  1. So posso dizer maravilhoso na inquitude da alma uma grande mulher.Parabenssss.abraços Markus

    ResponderExcluir

Coletânea de poemas de vários autores - Trabalho Primoroso da Poetisa Luna de Primo