Seguidores

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Minha estrada é para dois


Te afaguei os cabelos em uma cama sem endereço
Afaguei seu ego, sua vida
Engoli por muitas vezes o fel, a falta de ti
Esperei por horas, semanas, meses a promessa cumprir:me fazer feliz!
Cai enfim de bem alto, me feri, sofri.
Mas meu tempo é caro, meu tempo é raro
Minha estrada é para dois, deixo você para depois
Me enfeito, perfumada me acho
Dou então a outro o gosto do beijo esquecido
O corpo viciado em ti e por isso sofrido
Dou a outro o falso amor, assim como fez comigo
Refanzendo em retalhos minha alma dou a outro a vida que jurei ser so de ti
Agora assim, em outros braços tenho quase uma certeza de que estar contigo
Não foi tão bom assim.


Ceu Elsyane


Imagem Pesquisa Google

Um comentário:

Coletânea de poemas de vários autores - Trabalho Primoroso da Poetisa Luna de Primo