Seguidores

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

O Fascinio de Lucrécia Bórgia


Mulher danada de ruim, cruel mesmo, foi a tal da Lucrecia Bórgia, celebridade na época do Renascimento na Itália.
Filha de Roderigo Bórgia que viria torna-se o Papa Alexandre VI. Olha só o que a mocinha aprontava, era intrigante, assassina, devassa uma safada mesmo e ainda fornicava com os irmãos. Mandou pro além montes de maridos e usava um artifício bem ardiloso, o envenenamento, pozinho que ela guardava dentro do seu anel, vacilou, ela ia lá e pimba!!! Pozinho na bebida ou comida do sujeito e pronto mais um pro saco preto. Provas contra ela jamais foram encontradas porque alem de má era esperta e bem protegida. Era versada a menina, culta, cantava, dançava, conhecia poesia e falava em latim e grego fluentemente. Pasmem com treze anos já era uma ninfeta perigosa, se casou com essa idade, exercia um fascínio também entre seus irmãos que disputavam sua companhia a tapas, como era muito jovem o casamento não se consumou ficou virgem do marido por dois anos, mas só do marido, porque nas redondezas do palácio participava de verdadeiras orgias, foi acusada de manter relações não só com os irmãos, mas até com o próprio pai, a gravidez do primeiro filho foi um pandemônio, pois ninguém tinha certeza quem era o pai de fato, poderia ser qualquer um da família ou até os criados. César Bórgia tinha uma paixão doentia pela irmã e assassinou seu irmão e um criado por ciúmes. César Bórgia também reconheceu o filho de Lucrecia como seu. Que bagunça nessa família estou pasma, por ciúmes também, ele mata o segundo marido de Lucrecia. César Bórgia inspirou Maquiavel a escrever o livro “O Príncipe”.
Sob a acusação de luxúria, incesto, assassinatos e perversões sexuais, fratricídios, e uma doentia sede de poder, a família Bórgias participou dos piores episódios na historia Renascentista.
Lucrecia Bórgia morreu de parto do seu oitavo filho aos 39 anos de idade, no palácio da família após a reabertura do mesmo foram encontradas belas obras de artes entre eles um retrato de Lucrecia pintado por Pinturicchio com lindos cabelos caídos aos ombros.

Elsy Myrian Pantoja
Imagem disponibilizada em pesquisa na internet

Um comentário:

  1. Hum facto muito interessante.sobre a Lucrecia,mas creio que exitem muitas outras solta ai pelo mundo afora.maldade sobra em seres humanos.Bj
    Erick

    ResponderExcluir

Coletânea de poemas de vários autores - Trabalho Primoroso da Poetisa Luna de Primo