Seguidores

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Uma singela homenagem a Gabriel Buchmann



Sem muito o que dizer desse grande e valoroso Brasileiro, que dedicou todo seu pouco tempo de vida terrena em causas humanitárias, ascendeu ao cósmico cumprindo sua missão. Economista com Doutorado em Economia da Pobreza na Universidade da California, essa é apenas uma pequena parte de seu currículo. Sua essência continuará entre nós, seu exemplo de Cidadão digno, soube honrar sua familia, sua patria seu País. Abaixo transcrevo seu poema preferido e uma foto sua, é minha forma de confortar e comungar esse momento triste com a familia, colegas e amigos.



Mas se Deus é as flores e as árvores

E os montes e sol e o luar,

Então acredito nele,

Então acredito nele a toda a hora,

E a minha vida é toda uma oração e uma missa,

E uma comunhão com os olhos e pelos ouvidos.

Mas se Deus é as árvores e as flores

E os montes e o luar e o sol,

Para que lhe chamo eu Deus?

Chamo-lhe flores e árvores e montes e sol e luar;

Porque, se ele se fez, para eu o ver,

Sol e luar e flores e árvores e montes,

Se ele me aparece como sendo árvores e montes

E luar e sol e flores,

É que ele quer que eu o conheça

Como árvores e montes e flores e luar e sol.

E por isso eu obedeço-lhe,

(Que mais sei eu de Deus que Deus de si próprio?).

Obedeço-lhe a viver, espontaneamente,

Como quem abre os olhos e vê,

E chamo-lhe luar e sol e flores e árvores e montes,

E amo-o sem pensar nele,

E penso-o vendo e ouvindo,

E ando com ele a toda a hora



FERNANDO PESSOA



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Coletânea de poemas de vários autores - Trabalho Primoroso da Poetisa Luna de Primo